Notícias » Espaço

Estudos apontam que planeta anão Ceres possui “um mundo oceânico”

Com isso, uma nova missão pode ser feita para avaliar sua habitabilidade e até mesmo para a procura por sinais de vida extraterrestre

Fabio Previdelli Publicado em 11/08/2020, às 11h00

Imagem do planeta anão Ceres
Imagem do planeta anão Ceres - Divulgação/ NASA

O planeta anão Ceres já foi considerado um pedaço de rocha bastante primitivo. Mas agora, anos depois do lançamento da sonda espacial Dawn, da NASA, estamos descobrindo que há muito mais por lá do que pensávamos anteriormente.

Isso porque, Ceres — que fica no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter — e é, tecnicamente, o maior asteroide do Sistema Solar, e o único planeta anão mais próximo do que Netuno, é um verdadeiro "mundo oceânico".

De acordo com diversos estudos publicados ontem, 10, que usaram como base uma nova análise dos dados da Dawn, o planeta anão tem um corpo subterrâneo de água salgada que pode cobri-lo por inteiro. “Agora podemos dizer que Ceres é uma espécie de mundo oceânico, assim como algumas das luas de Saturno e Júpiter”, declarou Maria Cristina De Sanctis, do Istituto Nazionale di Astrofisica de Roma, à Agence France-Presse (AFP).

A descoberta aumenta a importância do envio de uma nova missão para estudar Ceres em maiores detalhes, a fim de avaliar sua habitabilidade potencial — e talvez até procurar por sinais de vida extraterrestre.

“O material encontrado em Ceres é extremamente importante em termos de astrobiologia”, disse ela. “Sabemos que todos esses minerais são essenciais para o surgimento da vida.”

Em um artigo separado, pesquisadores dos Estados Unidos analisaram imagens da cratera Occator e descobriram que seus montes e colinas podem ter se formado quando a água ejetada pelo impacto de um meteoro congelou na superfície.

Os autores disseram que suas descobertas mostraram que tais processos de congelamento de água “se estendem além da Terra e Marte, e têm estado ativos em Ceres no passado geologicamente recente”.