Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

EUA criticam detenção de manifestantes em Cuba: 'Respeite esses direitos'

Em coletiva em Washington, um posta-voz do governo Biden cobrou explicações após julgamentos

Wallacy Ferrari Publicado em 02/02/2022, às 12h33

Bandeiras de Cuba e dos Estados Unidos hasteadas - Getty Images
Bandeiras de Cuba e dos Estados Unidos hasteadas - Getty Images

Os Estados Unidos, através do o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, lamentaram os julgamentos de manifestantes que participaram de protestos massivos em julho de 2021 em Cuba, amplificados pelo grupo de oposição Justicia 11J. Em entrevista coletiva na última terça-feira, 1, o funcionário da Casa Branca afirmou que o país apoia o direito dos cubanos em “exercer sua liberdade de expressão”.

Pedimos ao governo cubano que respeite esses direitos e liberte os detidos injustamente por protestar pacificamente. Ninguém deveria enfrentar processos judiciais. Ninguém deveria ser condenado à prisão por exercer um direito que é tão universal em Cuba como seria em qualquer outro lugar", enalteceu Ned.

O grupo organizador dos protestos informou, no dia anterior a coletiva, que 33 manifestantes, incluindo seis menores, passarão por julgamentos pelo crime de “sediação” entre 31 de janeiro e 7 de fevereiro em um tribunal de Havana.

Em 25 de janeiro, a Procuradoria-Geral de Cuba já havia confirmado o processo de 790 pessoas por "atos de vandalismo" e "graves distúrbios da ordem pública".

Por fim, Prise destacou o compromisso estadunidense em promover a prestação de contas do governo cubano em relação aos habitantes: "Desde os protestos que começaram em 11 de julho do ano passado, vimos o governo cubano responder com sua marca registrada de repressão contra seus próprios cidadãos”.