Notícias » Europa

Eurodeputado conservador renuncia após ser pego em orgia na Bélgica

József Szájer ocupava uma cadeira no parlamento da União Europeia desde 2004, mas foi detido pela festa com 25 membros durante toque de recolher

Wallacy Ferrari Publicado em 02/12/2020, às 07h40

Jószef durante sessão parlamentar
Jószef durante sessão parlamentar - Wikimedia Commons

O eurodeputado húngaro József Szájer, do partido Fidesz-União Cívica Húngara — o mesmo do primeiro-ministro de extrema direita da Hungria, Viktor Orbán —, renunciou ao cargo parlamentar na União Europeia no último domingo, 29, e revelou, na terça-feira-seguinte, 1, que foi pressionado pelos conservadores da organização política após ter sido encontrado em uma orgia em Bruxelas, na Bélgica, dois dias antes da renúncia ao assento.

Na noite de sexta-feira, 27, a polícia local localizou e interrompeu um bacanal contendo cerca de 25 pessoas da alta sociedade europeia — incluindo o deputado e diplomatas — em uma área reservada no segundo andar de um bar. O grupo foi detido e posteriormente liberado como medida contra aglomerações em decorrência à pandemia da covid-19.

De acordo com o UOL, Jószef admitiu que era membro da orgia e pediu desculpas aos familiares, colegas e eleitores, mas justificou que parte da acusação: "Eu não usei drogas, me ofereci aos policiais para fazer um teste, mas eles não quiseram. A polícia disse ter encontrado pílulas de ecstasy, mas não eram minhas. Não sei quem as colocou ali nem como".

Desde o início da crise sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus, a Bélgica impôs um toque de recolher, válido das 22h às 6h, permitindo que as reuniões ocorram com até quatro pessoas.