Notícias » Europa

Europa sofre com manifestações violentas contra medidas que combatem o aumento de casos de covid-19

Países como Holanda, Áustria, França e Croácia tiveram que lidar com protestos no último final de semana

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 22/11/2021, às 12h32

Protesto contra restrições pela covid-19 na Alemanha, em 2020
Protesto contra restrições pela covid-19 na Alemanha, em 2020 - Getty Images

O continente europeu vem enfrentando uma onda de manifestações violentas contra restrições e medidas feitas para combater o aumento de casos de covid-19 em países como Holanda, Áustria, França e Croácia. 

Durante o último sábado, 20, tumultos aconteceram na cidade holandesa de Haia, após o governo adotar novas medidas contra o coronavírus. Segundo a CNN, o país reintroduziu o lockdown parcial, de três semanas, a partir do último sábado. Agora, os planos são proibir a entrada de pessoas não vacinadas em locais específicos.

Dentro dos confrontos de Haia, a tropa de choque lançou canhões de água e cinco dos policiais presentes ficaram feridos, um deles tendo sido encaminhado para o hospital, após sofrer uma concussão.

Também houve manifestações em outras cidades do país, como na capital, Amsterdã, onde milhares de pessoas participaram de uma passeata pacífica no mesmo dia, 20. Em Rotterdam, Urk e cidades da província de Limburg, no entanto, outros conflitos foram registrados.

A Áustria também registrou conflitos violentos no final de semana, após anunciar que um lockdown parcial nacional será reintroduzido a partir desta segunda-feira, 22, A capital do país, Viena, teve suas ruas lotadas por 40 mil protestantes, na maior manifestação relacionada com o coronavírus até hoje. 

Segundo a fala do vice-presidente da polícia de Viena, Franz Eigner, durante uma coletiva de imprensa, os policiais tentaram conter o protesto, mas pararam de multar manifestantes sem máscara quando o “clima estava prestes a piorar”.

Além disso, a ilha caribenha de Guadalupe precisou receber dezenas de policiais de elite e oficiais de contraterrorismo franceses no último domingo, 21, após incêndios e saques criminosos feitos para desafiar o toque de recolher anunciado pelo prefeito na sexta-feira, 19.

Em Zagreb, na Croácia, cerca de 15 mil pessoas estavam presentes em manifestações do sábado, 20, contra as medidas do governo para combater o vírus. A partir de segunda-feira, 22, habitantes deverão apresentar passaportes da Covid-19 para entrarem em prédios públicos e governamentais.