Notícias » Arqueologia

Evidências de guerra bíblica são encontradas em pedra de 2.800 anos na Jordânia

Pedaço de altar contém duas inscrições que podem dar detalhes acerca de rebelião contra o Reino de Israel

Vinícius Buono Publicado em 23/08/2019, às 09h30

A pedra com as inscrições parcialmente visíveis
A pedra com as inscrições parcialmente visíveis - Reprodução

Uma pedra de um altar de 2800 anos foi encontrada na cidade histórica de Atarote, atual Jordânia. Nela, duas inscrições podem ajudar a entender uma revolta por parte de Mesa, rei do Moabe (região próxima ao Mar Morto) e subordinado ao Reino de Israel que, segundo os especialistas, naquela época estava dividido em dois: Israel ao norte e Judá, ao sul.

A rebelião é narrada na Bíblia: antes dela, o Moabe devia pagar uma enorme quantia de cordeiros e de lã como tributo para Israel. Na Pedra Moabita, antiga inscrição que conta a história de Mesa e dos reinos vizinhos como Israel, de quem era vassalo.

A pedra gerou muita confusão em sua descoberta no final do século 19 por estar sob a posse de um grupo de beduínos e por, também, ter uma suposta menção ao Rei Davi. Nela, também consta que o rei Moabe conquistou a cidade de Atarote e promoveu um banho de sangue no processo.

Já na pedra do altar, uma das duas inscrições parece contar sobre a quantidade de bronze que foi saqueada durante a conquista da cidade e usada como oferenda. A outra, um pouco mais deteriorada e fragmentada, parece dizer que “4000 homens foram dispersos e, em grande número, abandonados” e menciona algo como uma cidade desolada. Segundo os cientistas, substâncias fragrantes como incenso, ervas aromáticas e óleos teriam sido queimadas no altar.

Essa descoberta seria uma confirmação de que os Moabitas conseguiram de fato dominar Atarote e, além disso, de que eles tinham um idioma e uma escrita próprias, já que, na Pedra Moabita, o método utilizado foi o hebreu.