Notícias » Arqueologia

Evidências sugerem que dinossauro representado em Jurassic Park era um predador marinho

O novo estudo analisou mais de mil dentes de dinossauro encontrados em margem de rio pré-histórico

Ingredi Brunato Publicado em 21/09/2020, às 13h20

Representação artística do Spinosaurus
Representação artística do Spinosaurus - Wikimedia Commons

Nova pesquisa publicada na revista especializada Cretaceous Research revela que o Spinosaurus aegyptiacus, famoso por conta do terceiro filme da franquia de Jurassic Park, era definitivamente um predador aquático, adicionando mais evidências aos achados do início do ano, que ao interpretarem a cauda do animal descobriram que ele estava fortemente adaptado à água. 

Dessa vez, os objetos analisados foram 1.200 dentes de dinossauro encontrados na região do deserto do Saara, onde há 100 milhões de anos correria um rio. Seria esse o rio onde o Spinosaurus, essa fera de seis toneladas e até 15 metros de comprimento, caçaria suas presas. 

“O grande número de dentes que coletamos no leito do rio pré-histórico revela que o Spinosaurus estava presente em grande número, respondendo por 45% do total de restos dentários. Não conhecemos nenhum outro local onde tal massa de dentes de dinossauro tenha sido encontrada”, disse David Martill, professor de paleobiologia da Universidade de Portsmouth, que realizou o estudo. 

Até recentemente, o consenso na comunidade científica era de que os dinossauros teriam habitado somente a terra, de forma que tanto a pesquisa publicada no início do ano sobre o Spinosaurus, e agora essa, adicionam uma nova camada ao conhecimento dos animais que viviam na pré-história.