Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Ex-carteiro teria roubado 20 mil cartas na Espanha

Homem está sob investigação após sacos de correspondências lacradas terem sido encontrados em sua casa

Redação Publicado em 07/06/2022, às 15h27

Imagem meramente ilustrativa mostrando várias cartas - Divulgação/ Pixabay/ blende12
Imagem meramente ilustrativa mostrando várias cartas - Divulgação/ Pixabay/ blende12

Na Espanha, um ex-carteiro de 62 anos tornou-se alvo de uma investigação policial após vender sua casa e a equipe responsável pela reforma encontrá-la repleta de sacos de lixo contendo mais de 20 mil cartas não entregues. 

De forma curiosa, as correspondências descobertas eram destinadas a moradores de uma região específica da cidade de Alicante, localidade vizinha de onde o homem vivia, e estavam lacradas. 

Outro detalhe é que as cartas surrupiadas são datadas de 2012 e 2013. Tendo essa informação em mente, não é nenhuma surpresa que tenha sido no ano de 2013 que a agência de correios de Alicante se absteve de renovar suas relações contratuais com o carteiro, tendo constatado "irregularidades" em seu trabalho. As informações foram repercutidas pelo The Guardian. 

Não se sabe ainda o motivo pelo qual o profissional teria impedido que tantas correspondências, várias dessas sendo simples contas de luz e energia, por exemplo, não alcançassem os endereços para as quais haviam sido designadas. 

O caso é ainda mais excêntrico quando se leva em consideração que os compradores da residência ligaram para avisar o antigo dono a respeito das sacolas jogadas pelo local (as que guardavam as pilhas de cartas), porém o homem recusou-se a ir removê-las, ainda de acordo com o The Guardian. 

Antes tarde do que nunca

Enquanto o ex-carteiro é acusado de "infidelidade ao guardar documentos", os planos para as cartas que foram achadas em sua casa, que estão atualmente sob investigação das autoridades, é que retornem aos correios da Espanha, onde deverão ser, finalmente, enviadas para seus destinatários, ainda que com uma década de atraso.