Notícias » Estados Unidos

Ex-funcionária do governo Trump revela que quase foi demitida por ouvir Taylor Swift

Olivia Troye escutava Taylor Swift na Casa Branca quando um colega a avisou que deveria tomar cuidado para não ser demitida

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 17/11/2021, às 19h00

Olivia Troye em entrevista para a MSNBC
Olivia Troye em entrevista para a MSNBC - Reprodução / Youtube (MSNBC)

Na última semana, os nomes da cantora Taylor Swift e de ex-funcionários da Casa Branca, presentes lá durante o governo Trump, foram envolvidos em diversas polêmicas.

A discussão, desta vez, foi iniciada por Olivia Troye, uma das conselheiras de Mike Pence, que serviu como vice-presidente dos Estados Unidos entre 2016 e 2020.

Em entrevista à emissora MSNBC, a funcionária, que também era responsável pela Segurança Nacional na Casa Branca, revelou um curiosos episódio, ocorrido em 2020. “Eu estava ouvindo Taylor Swift alto no meu escritório uma noite, estava muito irritada, depois de uma reunião na qual eu tinha perdido a discussão com alguém”, narrou.

Ainda na entrevista, Troye narrou que, em determinado momento, um de seus colegas bateu em sua porta para perguntar para: “Você está tentando ser demitida?”. As informações são do portal de notícias Popline.

Eu fiquei muito confusa. Ele falou que Taylor não parecia ser uma fã de Trump, então, se alguém escutasse, eu deveria tomar cuidado“, afirmou Olivia Troye.

Segundo o livro 'Betrayal: The Final Act of the Trump Show', do jornalista Jonathan Karl, vários funcionários do governo de Trump foram colocados sob uma lupa e suas atividades eram vigiadas para provar sua ‘lealdade’ ao ex-presidente americano. 

Nesse sentido, Taylor Swift passou a ser citada em discussões sobre a Casa Branca depois que uma servidora pública foi supostamente demitida após curtir uma foto da cantora no Instagram, em que a artista — que sempre demonstrou apoiar o democrata Joe Biden — expressava seu apoio ao então candidato à presidência.