Notícias » Reino Unido

Ex-funcionárias da família real britânica são recontratadas por Harry e Meghan

As assessoras Clara Loughran e Beth Herlihy, que perderam o emprego quando o casal deixou o Reino Unido, agora deverão atuar em projetos de caridade

Giovanna Gomes Publicado em 29/12/2020, às 08h45

Harry e Meghan
Harry e Meghan - Divulgação

O duque e a duquesa de Sussex recontrataram duas funcionárias do palácio que perderam seus empregos quando o casal deixou o Reino Unido.

Recentemente, Harry e Meghan nomearam profissionais para chefiar a organização sem fins lucrativos, Archewell, além de montar a própria equipe interna de relações públicas.

Agora as ex-funcionárias Clara Loughran e Beth Herlihy, que foram demitidas em março, deverão trabalhar em projetos de caridade no Reino Unido. Além delas, o chefe de relações públicas do casal no Reino Unido, James Holt, também fará parte da equipe.

Loughran, nascida na Nova Zelândia, é casada com o ex-secretário assistente de comunicações de Harry, Nick Loughran. Ela trabalhava para o príncipe desde 2015, organizando seus compromissos oficiais e iniciativas de caridade. Foi nomeada Membro da Ordem Real Vitoriana pela Rainha, por recomendação de Harry.

Herlihy trabalhou como gerente do programa Sussexes desde setembro de 2018. Ela também atuou por mais de quatro anos como coordenadora de eventos na Fundação Real. 

Com os novos funcionários, especialistas do setor dizem que o casal deverá contar com uma despesa de em torno de 1 milhão de libras por ano, isso sem contar os funcionários que trabalham na produção de podcasts, segurança privada, além de empregados domésticos.

A decisão do casal

Em janeiro de 2020, Harry e a esposa, Meghan Markle, anunciaram através de um comunicado oficial que deixariam a condição de membros seniores da família real britânica. Após a decisão, eles começaram a trabalhar para se tornarem financeiramente independentes, sem deixar de apoiar a rainhaElizabeth II.

Harry e Megan durante o desfile Trooping the Colour em 2018 /Crédito - Getty Images

 

O casal revelou que a decisão veio após meses de reflexão e discussão interna, e que a transição foi escolhida para que possam desempenhar “um novo papel progressivo dentro desta instituição”.

Harry e Meghan se casaram em maio de 2018 e tiveram seu primeiro filho, Archie Harrison, em maio de 2019. O casal era o sexto na linha de sucessão ao trono, ficando atrás do príncipe Charles, do príncipe William, e dos sobrinhos George,Charlotte e Louis.

Relembre o comunicado completo abaixo.

“Após muitos meses de reflexão e discussões internas, optamos por fazer uma transição este ano, começando a desempenhar um novo papel progressivo dentro desta instituição. Pretendemos voltar atrás como membros "seniores" da Família Real e trabalhar para nos tornar financeiramente independentes, continuando a apoiar totalmente Sua Majestade a Rainha.

É com seu encorajamento, principalmente nos últimos anos, que nos sentimos preparados para fazer esse ajuste. Agora, planejamos equilibrar nosso tempo entre o Reino Unido e a América do Norte, continuando a honrar nosso dever para com a Rainha, a Commonwealth e nossos patrocínios.

Esse equilíbrio geográfico nos permitirá criar nosso filho com uma apreciação pela tradição real em que ele nasceu, além de proporcionar à nossa família o espaço para se concentrar no próximo capítulo, incluindo o lançamento de nossa nova entidade beneficente.

Esperamos ansiosamente compartilhar todos os detalhes deste emocionante próximo passo no devido tempo, enquanto continuamos a colaborar com Sua Majestade, a Rainha, o Príncipe de Gales, o Duque de Cambridge e todas as partes relevantes. Até lá, aceite nossos mais profundos agradecimentos por seu apoio contínuo".