Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Polícia

Ex-goleiro Bruno tem ordem de prisão decretada por pensões atrasadas

Dívida alimentícia como filho Bruninho chega a 70 mil reais

Isabelly de Lima, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 31/05/2022, às 16h41

Ex-goleiro em entrevista, em 2020 - Divulgação/Youtube/Conexão Repórter
Ex-goleiro em entrevista, em 2020 - Divulgação/Youtube/Conexão Repórter

O ex-goleiroBruno Fernandes, na última sexta-feira, 27, teve a prisão decretada por falta de pagamento de pensão alimentícia ao filho, Bruninho. A ordem de prisão foi dada pelo juiz da 6ª vara de família e sucessões de Mato Grosso do Sul, Alexandre Tsuyoshi Ito.

Contudo, a Polícia do Rio de Janeiro, especificamente a de Angra dos Reis, em que o endereço de Bruno está registrado, ainda não cumpriu a ordem judicial — que está completamente paralisada.

Foi determinado, na decisão assinada pelo juiz de Mato Grosso do Sul, o pagamento de cerca de R$ 70 mil, referentes a dois salários-mínimos por mês desde janeiro de 2020; com valores atualizados.

Alexandre Ito, na ordem, ainda determinou que Bruno permanecesse preso até que "efetue a quitação de todas as parcelas pendentes ou pelo prazo máximo de 3 meses", porém, o ex-goleiro continua livre.

A defesa do ex-goleiro entrou com um pedido de habeas corpus no último sábado, 28, na Justiça de Mato Grosso do Sul. Em contato com o G1, a defesa disse que não pode comentar sobre o caso sem autorização prévia do cliente, ainda mais que o caso segue em Segredo de Justiça, pois uma das partes envolvidas é menor de idade, Bruninho.

Novas saídas

De acordo com a avó materna, o menino nunca recebeu pensão alimentícia do pai, que fora condenado pelo homicídio triplamente qualificado de sua mãe, Eliza Samúdio, mesmo após 12 anos.

O corpo dela continua desaparecido. Na época do ocorrido, Bruninho tinha apenas quatro meses de vida e também foi sequestrado, chegando a ser mantido em cárcere privado — outra condenação de Bruno. Depois do resgate, a criança foi entregue à Sônia Moura, avó materna, com quem vive até hoje.

Em abril deste ano, o esposo de Sônia, Hernane Silva Moura, veio a falecer. Mesmo antes de sua morte, ela já havia feito uma “vakinha” online para conseguir levantar dinheiro para custear gastos domésticos e manter as despesas do neto. Depois da morte inesperada do marido, as coisas complicaram e nenhuma ajuda vinda de Bruno apareceu.

Desde fevereiro, Bruno Fernandes das Dores de Souza, que cumpre pena em regime aberto, inaugurou uma loja de açaí, em São Pedro da Aldeia, na Região de Lagos do Rio. Na abertura do comércio, ele recepcionou os convidados e serviu lanches aos clientes.

Em um vídeo, publicado no instagram oficial do goleiro, um cliente brinca com os internautas dizendo: "Campeão em 2009, olha o que que ele tá aprontando aqui na Região dos Lagos (...) Fale aê, Brunão, novo empreendimento...".

Ex-goleiro atendendo clientes em seu novo comércio/ Crédito: Arquivo pessoal

A madrinha do menino e integrante do grupo 'Vítimas Unidas', Maria do Carmo Santos, alegou que é “imoral a demora para o cumprimento da ordem judicial", tendo em vista que o autor do crime segue em liberdade.