Notícias » Estados Unidos

Ex-guarda de campo de concentração é deportado dos Estados Unidos

“Depois de 75 anos, isso é ridículo", afirmou o alemão Friedrich Karl Berger, que chegou em solo norte-americano em 1959

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 22/02/2021, às 17h00

Fotografia de Friedrich Karl Berger em sua juventude
Fotografia de Friedrich Karl Berger em sua juventude - Divulgação/ Departamento de Justiça dos EUA

No último sábado, 20, a história de um alemão de 96 anos que foi deportado dos Estados Unidos de volta para seu país de origem chamou atenção da internet. Isso porque ficou determinado que ele havia sido um guarda em um campo de concentração nazista

Friedrich Karl Berger deu uma entrevista ao jornal Washington Post antes de ser enviado para fora do território norte-americano. “Depois de 75 anos, isso é ridículo", afirmou. "Não posso acreditar. Vocês estão me forçando a sair da minha casa."

O ex-guarda ainda completou dizendo que passou pouco tempo no campo de concentração, não carregava nenhuma arma a tiracolo e sequer havia escolhido ir trabalhar no local. Na época, segundo o senhor, ele só cumpriu ordens de superiores. 

O procurador-geral Monty Wilkinson, dos Estados Unidos, comentou que a deportação de Berger era uma mostra do “compromisso do governo em garantir que os Estados Unidos não sejam um porto seguro para aqueles que participaram de crimes nazistas contra a humanidade e outros abusos dos direitos humanos”, segundo a BBC. 

Ainda de acordo com o veículo, durante o julgamento de Friedrich em solo norte-americano, o alemão alegou que nunca tinha presenciado o assassinato ou abuso de nenhum prisioneiro. Ainda não se sabe se o governo alemão irá julgá-lo também, uma vez que existe uma dificuldade de reunir evidências de infrações cometidas há décadas.