Notícias » Suíça

Ex-jogadores do Grêmio que foram condenados na Suíça, não seriam presos atualmente

De acordo com o Ministério Público de Berna, o prazo para aplicar a sentença do caso de violência contra uma jovem em 1987, terminou

Redação Publicado em 23/10/2020, às 11h41

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Pixabay

De acordo com informações publicadas nesta sexta-feira, 23, pelo portal de notícias UOL, os ex-atletas do clube de futebol, Grêmio — que foram condenados na Suíça no final da década de 1980 — não seriam detidos hoje se voltassem para o solo helvético.

Segundo revelado na publicação, o Ministério Público de Berna, cidade da Suíça, revelou que o caso que aconteceu em 1987 já cumpriu 15 anos de prazo, por isso, o tempo para a aplicação de uma sentença terminou.

No ano de 1987, quatro jogadores: Eduardo Hamester, Fernando Castoldi, Henrique Etges e Alexi Stival, também conhecido como Cuca, foram denunciados por estupro de uma menina, que na época tinha 13 anos. A violência teria ocorrido em Berna, no hotel onde os atletas estavam hospedados, durante uma série de jogos pela Europa.  

Na época, jogadores permaneceram detidos por quase um mês na Suíça e foram condenados pela idade que a garota tinha, mas, não por estupro. No ano de 1989, os homens envolvidos no caso foram condenados pela Justiça em penas que foram de três meses até três anos de prisão e multas.


++O escândalo de Berna: Quando jogadores brasileiros foram acusados de estuprar uma menina.