Notícias » Estados Unidos

Ex-militar estadunidense foi preso suspeito de espionagem em prol da Rússia

O crime julgado pelo Departamento de Justiça pode levar à prisão perpétua

Giovanna de Matteo Publicado em 22/08/2020, às 10h01

Reprodução das bandeiras dos Estados Unidos e da Rússia
Reprodução das bandeiras dos Estados Unidos e da Rússia - Pixabay

Um ex-militar das Forças Especiais dos Estados Unidos, também membro do grupo conhecido como boinas verdes, foi preso neste sábado, 22, acusado de espionagem a favor da Rússia. As informações são do portal de notícias UOL.

O homem de 45 anos é Peter Rafael Dzibinski Debbins, nascido nos EUA, mas com descendência russa, ele foi detido no estado de Virgínia. Conforme informações do Departamento de Justiça Americana, acredita-se que ele foi contatado por Moscou em 1996 para fazer parte do programa de espionagem, antes de se alistar no exército estadunidense. A justiça o acusou de ter "fornecido informação sobre a defesa americana a um governo estrangeiro" desde sua entrada no exército.

Durante intercâmbio universitário em Cheliabinsk, Debbins se reuniu com agentes russos e garantiu ser, em suas próprias palavras, "um filho da Rússia". No ano seguinte, Debbins ganhou um nome especial e passou a ser identificado como Ikar Lesnikov pelos contatos russos. Além disso, no mesmo ano ele se casou com uma russa, filha de um oficial militar e começou sua carreira no exército.

Anos depois, o homem fez um pedido para a Rússia a fim de largar o exército e a espionagem, mas foi incentivado a continuar sua missão, partindo então para as forças especiais. O último contato com o país mencionado na acusação é de 2011. O crime, considerado traição à pátria, ainda está sendo investigado.