Notícias » Estados Unidos

Ex-presidente Barack Obama aparece em campanha de Joe Biden, que alfineta Trump

Biden atualmente é o maior adversário de Donald Trump na corrida presidencial, e contou com a ajuda do democrata para falar a respeito da crise do coronavírus

Caio Tortamano Publicado em 22/07/2020, às 15h44

Donald Trump e Obama em evento oficial
Donald Trump e Obama em evento oficial - Wikimedia Commons

Pela primeira vez, o ex-presidente americano, Barack Obama, apareceu em um material de campanha presidencial do democrata Joe Biden. Os dois se reuniram no começo do mês — respeitando o distanciamento social — e criticaram indiretamente o atual chefe de estado, Donald Trump, conforme apontou o portal UOL.

Biden, que atualmente concorre com Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos, foi vice-presidente de Obama durante os oito anos de governo do antecessor do republicano. O encontro aconteceu no escritório do ex-presidente em Washington, e eles conversaram, principalmente, sobre como Biden iria lidar com a crise pandêmica do coronavírus.

Sem citar o nome de Trump, Biden critica a maneira como o presidente tem se posicionado diante do caos causado pela pandemia. Isso porque  março, quando questionado sobre o atraso nos testes nos Estados Unidos, Donald Trump relatou que não assumiria nenhuma responsabilidade sobre o problema evidente.

Na gravação, Biden afirma: "Você pode imaginar dizer quando era presidente 'não é minha responsabilidade. Eu não assumo nenhuma responsabilidade'? Literalmente. Literalmente". Mas não acabou aí.

Obama continuou a conversa: "Essas palavras não saíram de nossas bocas enquanto estávamos no cargo." 

"Não. Eu não entendo a incapacidade dele de ter uma noção do que as pessoas estão passando", finalizou Bidem.

Atualmente, os Estados Unidos estão com pouco mais de 3 milhões e 800 mil casos de contaminação pelo novo vírus registrados, além de mais de 141 mil mortes por Covid-19. Obama fez questão de elogiar a capacidade de Joe Biden de se relacionar com as pessoas, afirmando que foi por esse motivo que o democrata tanto quis o candidato como seu vice durante o mandato.