Notícias » Coreia do Norte

Ex-prisioneiros da Coreia do Norte teriam sido obrigados a beber água com cinzas humanas

Os relatos perturbadores foram divulgados por um jornal britânico, que teria entrevistado fugitivos

Ingredi Brunato Publicado em 08/10/2020, às 15h54

Imagem ilustrativa da bandeira da Coreia do Norte com arames.
Imagem ilustrativa da bandeira da Coreia do Norte com arames. - Getty Images

Uma reportagem publicada recentemente pelo jornal britânico Mirror entrevistou norte-coreanos que teriam fugido de prisões do país asiático, onde viveram horrores inimagináveis. Nesses campos de concentração modernos, os prisioneiros precisariam beber água com cinzas humanas, por exemplo, para sobreviver. 

Os supostos sobreviventes relataram que havia um pavilhão no campo de Chongori (de onde escaparam) onde eram deixados os corpos dos mortos, e toda segunda-feira esses cadáveres eram queimados até virarem cinzas, um trabalho que era imposto aos próprios prisioneiros. “Quando chovia, as cinzas corriam para o rio, e os prisioneiros bebiam a água do rio e utilizavam-na para tomar banho", contou um dos entrevistados ao Mirror. 

Outro acontecimento comum nessa prisão norte-coreana seria justamente o encontro com cadáveres, antes de eles serem levados ao pavilhão. Lesões, doenças e abuso - tanto físico quanto mental - por parte dos carcereiros tornaria a morte algo cotidiano no campo de concentração de Chongori. 

Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte, nega que ocorram violações dos direitos humanos nessas instalações para onde são enviadas os norte-coreanos que infringiram as leis (que proíbem desde o ato de assistir programas estrangeiros até a fuga do país). Vale lembrar também o político apenas admitiu que tais prisões existissem no ano de 2014.