Notícias » Oriente Médio

Explosão no Líbano foi tão forte quanto a bomba nuclear de Hiroshima, revela pesquisa

Cientistas afirmam que explosão causada por nitrato de amônio em Beirute teve 10% da força de colisão da bomba nuclear jogada em Hiroshima a 75 anos atrás.

Giovanna de Matteo Publicado em 06/08/2020, às 10h08

Foto obtida de um vídeo na rede social.
Foto obtida de um vídeo na rede social. - Karim Sokhn/ divulgação Instagram: Ksokhn

Pesquisa indica que a explosão que ocorreu na ultima terça feira, 4, em Beirute, tenha tido 10% do impacto da bomba nuclear de Hiroshima, lançada durante a Segunda Guerra Mundial, em 6 de agosto de 1945, no Japão. Conforme dados expostos por cientistas da Universidade de Sheffield no Reino Unido.

De acordo com a pesquisa realizada, especialistas confirmam que inquestionavelmente o acidente em Beirute foi "uma das maiores explosões não nucleares da história".  A bomba atômica de urânio, batizada de "Little Boy", que atingiu a cidade de Hiroshima se deu em um ato dos Estados Unidos como forma de pressão para a rendição dos japoneses na guerra.

Estima-se que a tragédia matou entre 90 mil e 166 mil pessoas nos primeiros quatro meses após a explosão e deixou sequelas multigeracionais na população.

Em Beirute, a causa da grande explosão pode ter sido o armazenamento incorreto e despreparado de aproximadamente 2.750 toneladas de nitrato de amônio, substância usada na produção de explosivos e fertilizantes.

O incidente causou grande pânico na região portuária da capital do Líbano e testemunhas relatam que uma gigantesca nuvem de fumaça pode ser vista rondando a cidade.O impacto da explosão foi sentido até o Chipre, a mais de 200 km da costa libanesa.

Segundo Hamad Hassan, Ministro da Saúde do Governo do Líbano, cerca de 5 mil feridos foram encaminhados para hospitais da cidade e pelo menos 135 pessoas mortas até então. A grande preocupação por agora é a lotação dos hospitais.