Notícias » Brasil

Falece o psicanalista e escritor Contardo Calligaris, aos 72 anos

A informação foi divulgada através do filho de Contardo nas redes sociais

Redação Publicado em 30/03/2021, às 19h03

Café Filosófico com Contardo Calligaris em Campinas 07/08/09
Café Filosófico com Contardo Calligaris em Campinas 07/08/09 - Wikimedia Commons/Rodrigo Cancela

O país recebeu uma triste notícia nesta terça-feira, 30. Aos 72 anos, morreu o ilustre psicanalista Contardo Calligaris. Com informações repercutidas pela Agência Brasil, o óbito foi informado pelo filho, Maximmillien Calligaris, através de seu perfil oficial no Instagram.

"'Espero estar à altura'. Diante da proximidade da morte, essa foi a frase do meu pai. Ele se foi agora”, explicou o filho do escritor na rede social.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Max Calligaris (@mxcalligaris)

 

Conforme divulgado pelo G1, o psicanalista estava internado na Instituição Albert Einstein, em São Paulo, enquanto lutava contra um câncer. 

Ilustre carreira

Sua primeira vez em terras tupiniquins se deu no ano de 1986, ao ministrar palestras da obra Hipótese sobre o fantasma. E foi aqui também que se casou e de início passou a dividir sua vida entre o Brasil e a Itália antes de se fixar em solo brasileiro de vez.

Contudo, foi além e chegou trabalhar em Nova York, além de ter ministrado aulas em faculdades dos EUA e também da França. Com um currículo extenso, também lançou obras nas temáticas de psicanálise e ficção. Escritor e também dramaturgo, Contardo tinha coluna publicada no Folha de S.Paulo desde ano de 1999.

Contardo Calligaris elevou o patamar do colunismo de cultura no Brasil. Foi testemunha ocular das principais mudanças de comportamento dos últimos 50 anos. Deixará uma lacuna gigante”, disse Sérgio Dávila, diretor de Redação do veículo, conforme repercutido pela Agência Brasil.

Dos trabalhos que cravaram Contardo na história brasileira, dois se destacam: Hello, Brasil" E outros ensaios - Psicanálise da estranha civilização', de 1990 e também Cartas a um jovem terapeuta: Reflexões para psicoterapeutas, aspirantes e curiosos (republicado recentemente).