Notícias » Curiosidades

Fatos sobre Margaret Thatcher foram tirados de contexto ou omitidos em 'The Crown'

Na série, a linha do tempo entre os acontecimentos acabou se desviando um pouco da realidade

Giovanna de Matteo Publicado em 17/11/2020, às 11h04

Margaret Thatcher (Gillian Anderson) em The Crown
Margaret Thatcher (Gillian Anderson) em The Crown - Divulgação/ Netflix

A nova temporada de "The Crown" foi lançada no dia 15 de novembro na Netflix e deu destaque as novas personagens da princesa Diana (Emma Corrin) e da primeira-ministra Margaret Thatcher(Gillian Anderson). Porém, a série precisou focar em alguns eventos, deixando outros de fora, sendo a maior exceção a tentativa de assassinato contra Thatcher, que foi omitida da história.

Margaret Thatcher foi uma política importante para a Grã-Bretanha. Ela foi à primeira mulher a ser primeira-ministra do país, e se envolveu em diversas polêmicas durante seu mandato.

Atualmente, opiniões sobre ela se dividem entre admirações e repúdios. Até 1990, ela enfrentou e venceu sindicatos, cortou gastos públicos e derrotou os militares argentinos na Guerra das Malvinas - ou seja, fez jus ao apelido de Dama de Ferro.

Diante disso, a tentativa de assassinato ocorreu no dia 12 de outubro de 1984, quando uma bomba explodiu no Grand Hotel de Brighton, às 2h54. O local abrigava a Dama de Ferro e outros ministros do seu governo e membros do partido Conservador, que esperavam para participar de uma conferência.

Thatcher conseguiu fugir com seu marido antes de ser afetada pela explosão, assim como seus ministros. Porém, o ataque deixou cinco mortes, e 31 pessoas que estavam hospedadas ali sofreram ferimentos graves.

Margaret Thatcher interpretada por Gillian Anderson/ Crédito: Divulgação/ Twitter/ Netflix

 

Mais tarde o IRA (Exército Republicano Irlandês) assumiu que o atentado fazia parte de uma reivindicação do grupo. Thatcher aproveitou para falar do incidente na conferência que, segundo informações da BBC, por insistência dela não foi cancelada. Patrick Magee é o homem que foi  condenado à 14 anos de prisão por ter plantado a bomba no hotel quase um mês antes do dia da explosão.

"Este ataque falhou. Todas as tentativas de destruir a democracia por terrorismo irão falhar", disse ela enfrentando sem medo o IRA.

A resiliência que Thatcher exibiu após o atentado que pôs sua vida em risco aumentou sua popularidade do mesmo jeito que aconteceu quando precisou enfrentar a Guerra das Malvinas. No entanto, em "The Crown", a linha do tempo entre os acontecimentos se desviou um pouco da realidade.

No episódio 4 da nova temporada, Thatcher aparece como a líder que deve resolver dois grandes problemas: a tensão nas Ilhas Malvinas contra o governo argentino, e o desaparecimento de seu filho, Mark, que sumiu enquanto participava da maior prova de rali do mundo, o Rali Paris-Dakar.

Thatcher e Reagan, os dois maiores expoentes do neoliberalismo colonial entre as potências ocidentais /  Divulgação

 

Porém, na vida real esses dois momentos não aconteceram simultaneamente. Enquanto Mark foi dado como desaparecido em 12 de janeiro de 1982, os cenários da guerra que foram retratados nesta temporada só aconteceram em abril. As situações que foram tiradas do contexto, ou que simplesmente ficaram omitidas, revelam o que é realidade e ficção de 'The Crown'.