Notícias » Pré-História

Ferramentas de 100 mil anos revelam detalhes sobre migração humana na pré-história

Itens feitos de pedra talhada apoiam a tese de que o ser humano atravessou o deserto de Neguev para deixar a África

Isabela Barreiros Publicado em 05/08/2020, às 14h33

Ferramenta encontrada em Dimona
Ferramenta encontrada em Dimona - Emil Eljem/IAA

No dia de ontem, 4, a Autoridade de Antiguidades de Israel fez um comunicado em suas redes sociais oficiais informando uma importante descoberta. Escavações realizadas em Dimona, cidade em Israel, revelaram a existência de inúmeras ferramentas feitas de pedra talhada com uma técnica peculiar.

Análises indicaram que se tratava do método "Nubian Levallois". "Essa técnica é identificada com os humanos modernos que viveram na África Oriental há 150-100.000 anos e migraram de lá para todo o mundo", disseram, os diretores da escavação, Talia Abulafia e Maya Oron, da IAA.

Encontrar esses artefatos auxilia o trabalho dos pesquisadores que querem entender de maneira clara a movimentação dos humanos na pré-história. A partir dessa descoberta, é possível perceber o itinerário dessas pessoas.

“Na última década, muitos locais núbios foram descobertos na Península Arábica”, explicaram os especialistas. Esse fato levou muitos estudiosos a acreditar que o êxodo dos homens modernos da África ocorreu nessa região. O local de Dimona provavelmente representa a penetração mais ao norte da indústria de ferramentas de pederneira a partir daí, marcando uma rota de migração da África para a Arábia Saudita e de lá, talvez, para o Negev”, concluíram.