Notícias » Antropologia

Ferramentas de milhares de anos revelam desenvolvimento do autocontrole humano

Com o auxílio de objetos confeccionados, foi possível observar que o homem primitivo desenvolveu habilidades

Wallacy Ferrari Publicado em 14/05/2020, às 10h13

As pedras usadas para caça e corte passaram a ser cuidadosamente afiadas ao longo da evolução
As pedras usadas para caça e corte passaram a ser cuidadosamente afiadas ao longo da evolução - The Portable Antiquities Scheme

Um estudo da Universidade de York analisou os avanços humanos em relação a confecção de artefatos em milhares de anos e pôde concluir que o autocontrole do ser humano foi aprimorado para a criação de ferramentas sofisticadas, de maneira que houvesse mais cuidado e detalhes durante produção.

Comparando ceras fabricadas há mais de 1,8 milhão de anos por primitivos, com itens de 500 mil anos foi possível analisar que, durante o intervalo de tempo da produção de um objeto para o outro, o ser humano conseguiu reproduzir o objeto com maior simetria e durabilidade, demonstrando o aprimoramento das habilidades.

De acordo com os autores da publicação, os avanços não apenas indicam uma melhora na produção de artefatos, mas também demonstram que o autocontrole contribuiu nas características pessoais do ser humano, como concentração, tolerância, respeito e frustração.

Penny Spikins, autoria sênior do estudo e membro do Departamento de Arqueologia da Universidade de York, explicou como, ao longo do tempo, o ser humano conseguiu ser menos imediatista e investir seu tempo e esforço em coisas que poderiam ficar prontas à longo prazo.

“Atualmente, nossa capacidade de autocontrole se tornou particularmente importante. Sem os níveis avançados de autocontrole que possuímos como espécie, o bloqueio seria impossível", afirmou Penny no estudo."É preciso autocontrole para colocar as necessidades da comunidade em primeiro lugar, em vez de focar em nossos próprios fins imediatos. Nosso estudo oferece algumas pistas de onde na história humana essa habilidade se originou”.