Notícias » Ucrânia

Fifpro confirma a morte de dois atletas ucranianos que serviam na guerra

Vitalii Sapylo (21) e Dmytro Martynenko (25) faziam parte de equipes que disputam divisões menores no país

Fabio Previdelli Publicado em 02/03/2022, às 15h23 - Atualizado às 15h24

Vitalii Sapylo (21) e Dmytro Martynenko (25) foram vítimas da invasão à Ucrânia
Vitalii Sapylo (21) e Dmytro Martynenko (25) foram vítimas da invasão à Ucrânia - Divulgação/Twitter/Fifpro

Na última terça-feira, 1, a Federação Internacional de Futebolistas Profissionais (Fifpro) anunciou em suas redes sociais que dois jogadores de futebol foram vítimas da invasão da Rússia à Ucrânia

Tratam-se dos atletas ucranianos Vitalii Sapylo, de 21 anos; e Dmytro Martynenko, de 25. Segundo informações do britânico Sky Sports, a dupla fazia parte de equipes que disputam divisões menores no país. 

Sapylo era atleta do Karpaty, clube que fica situado na vila de Sokilnyky, perto da cidade de Lviv, na região oeste da Ucrânia. Ele teria morrido após os ataques realizados perto da capital Kiev. 

Martynenko era atacante do FC Hostomel. Dmytro foi considerado, na temporada passada, o melhor jogador da segunda divisão ucraniana. Ele se tornou uma vítima da invasão depois que uma bomba caiu em sua casa. 

Além do futebolista, sua mãe também morreu. Já a irmã de Martynenko, que tem apenas sete anos de idade, está gravemente ferida. Seu pai sobreviveu ao ataque e está bem. 

Nossos pensamentos estão com as famílias, amigos e companheiros de equipe dos jovens futebolistas ucranianos Vitalii Sapylo (21) e Dmytro Martynenko (25), as primeiras perdas relatadas do futebol nesta guerra”, disse a Fifpro em seu Twitter. “Que ambos descansem em paz.”

Atletas russos são 'banidos' pelo COI e FIFA

Após a Rússia invadir a Ucrânia, o Comitê Olímpico Internacional (COI) recomendou, por meio de um comunicado, que atletas russo e bielorrussos não sejam convidados para participarem de competições internacionais em quaisquer esportes. 

Caso não haja tempo de retirar os atletas dessas duas nações, a entidade máxima dos esportes olímpicos recomendou que os mesmos não devem competir com a bandeira de seus países, fazendo parte de ‘seleções neutras’.

Algo semelhante aconteceu na Olimpíadas de Tóquio 2021, quando os atletas participaram dos Jogos como membros do Comitê Olímpico da Rússia (ROC). Na ocasião, porém, conforme relatou a equipe do site do Aventuras na História, a medida aconteceu após uma polêmica envolvendo a federação russa e o uso de substâncias em atletas para melhorarem suas performances, o popular doping. 

A atual guerra na Ucrânia coloca o Movimento Olímpico em um dilema. Enquanto os atletas da Rússia e de Belarus poderiam continuar a participar de eventos esportivos, muitos atletas da Ucrânia estão impedidos de fazê-lo por causa do ataque ao seu país. Este é um dilema que não pode ser resolvido”, aponta a nota do COI. 

O Comitê Olímpico Internacional também ressaltou que recomenda que nenhum evento esportivo seja organizado tanto na Rússia quanto em Belarus. Outra entidade importante no âmbito esportivo, a FIFA optou por suspender a Federação de Futebol russa.

Como resultado, a Rússia não poderá disputar nem as Eliminatórias para a Copa do Mundo e, como consequência, do evento oficial, que será realizado no final do ano no Qatar.