Notícias » McDonald's

Filas, estoques e vendas exorbitantes após fechamento do McDonald's na Rússia

A decisão foi tomada pela rede de fast food após os conflitos entre Rússia e Ucrânia

Redação Publicado em 12/03/2022, às 11h10

Geladeira de um russo cheia de Hambúrgueres do McDonald's
Geladeira de um russo cheia de Hambúrgueres do McDonald's - Divulgação/ Reddit

Devido ao conflito ocorrido entre Rússia e Ucrânia, o McDonald’s anunciou recentemente que fecharia 850 lojas na Rússia.

Após a decisão da rede de fast food, os cidadãos russos fizeram filas nos estabelecimentos, passaram a estocar os itens do cardápio em suas casas e realizar vendas por preços exorbitantes.

Um vídeo divulgado através do Twitter mostra uma fila enorme de carros no drive thru de uma das lojas do restaurante, em Moscow

Além disso, nesta semana, um post realizado no Reddit ganhou destaque por mostrar uma geladeira completamente lotada de hambúrgueres.

A legenda da publicação diz: "O McDonald's está fechando permanentemente na Rússia, aqui está o estoque do meu amigo”.

Alguns cidadãos russos aproveitaram a situação para tentar vender produtos do McDonald's por preços demasiadamente altos na Avito, uma plataforma russa de classificados e leilões semelhante ao eBay.

Hambúrgueres, bebidas e até mesmo pacotes individuais de molho apreciam na lista revisada pelo jornal New York Post, onde um vendedor cobrava 104.000 rublos (R$ 4,4 mil) por uma torta de cereja e outro pedia 50.000 rublos, equivalente a mais de R$ 10 mil, por uma "coleção de molhos" do McDonald's.

Venda de itens do cardápio do McDonalds na Avito
Venda de itens do cardápio do McDonalds na Avito. Crédito/ Divulgação/ Reddit

O McDonald’s fechou as suas portas no país russo sem previsão de reabertura pois segundo Chris Kempczinski, CEO do McDonald's, o conflito "causou sofrimento indescritível a pessoas inocentes".

Apesar do fechamento, a rede de fastfood planeja continuar pagando os salários dos 62.000 funcionários russos e arcar com o custo de US$ 50 milhões (R$ 251 milhões) por mês estimado pelo CFO do McDonald's, Kevin Ozan em uma conferência.

"Esperamos que isso seja temporário e certamente não tomamos essa decisão com o ânimo leve, mas, para nós. trata-se de fazer o que achamos ser a coisa certa a fazer, tanto para os negócios globais quanto para nosso pessoal local", completou Ozan, à CNBC.