Notícias » Brasil

Filha de Nicette Bruno, Barbara Bruno, é intubada em decorrência do novo coronavírus

Sabe-se que Nicette morreu em dezembro de 2020, aos 87 anos, justamente por complicações da Covid-19

Redação Publicado em 03/05/2021, às 09h50

Fotografia de Barbara Bruno
Fotografia de Barbara Bruno - Divulgação/ Youtube/ ANCEC/ 30 de jan. de 2017

De acordo com informações publicadas na noite do último domingo, 2, pelo portal de notícias G1, a atriz Barbara Bruno, de 64 anos, foi diagnosticada com o novo coronavírus e precisou ser intubada.

Barbara é filha de Nicette Bruno, uma consagrada atriz brasileira que faleceu aos 87 anos, em dezembro do ano passado, justamente em decorrência da Covid-19. Sabe-se que desde novembro de 2020, a carioca esteve internada na UTI, a artista não resistiu às complicações causadas pelo vírus.

Na ocasião, Nicette chegou a ser sedada no momento da internação, e precisou de ventilação mecânica para conseguir respirar. Além disso, foi relatado pela imprensa que a mulher passou por hemodiálise.

Segundo revelado na publicação, a notícia do caso de Barbara foi confirmada nas redes sociais de sua irmã, Beth Goulart. Na publicação, a outra filha de Nicette também pediu orações para a recuperação da irmã e de todos os enfermos.

"Minha irmã tão querida, tão amada, Barbara Bruno, foi testada positivamente para o Covid. Ela está internada, hospitalizada no CTI, e hoje teve que fazer a intubação [...] Vamos doar nosso amor, nossa esperança e fé para a cura de todos”, escreveu Beth.

Confira o post.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Beth Goulart Oficial (@bethgoulartoficial)

 


Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 14,8 milhões de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 408 mil no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.