Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Filho adotivo teria sido mantido preso em cubículo por 5 anos, nos EUA

Casal foi preso na Flórida sob suspeita de manter o adolescente aprisionado e de abusá-lo física e emocionalmente

Redação Publicado em 10/02/2022, às 14h40

Casa da família onde o adolescente era mantido aprisionado na cidade de Júpiter, EUA - Divulgação/Vídeo/CBS12
Casa da família onde o adolescente era mantido aprisionado na cidade de Júpiter, EUA - Divulgação/Vídeo/CBS12

Um casal foi preso pela polícia da cidade de Júpiter, na Flórida, nos EUA, nesta semana sob suspeita de manter um filho adotivo de 14 anos aprisionado em um cubículo situado na garagem da residência em que a família vive desde 2017.

O caso começou a ser investigado quando Tracy e Thimothy Ferrier, ambos de 46 anos, relataram o desaparecimento do jovem à polícia em 28 de janeiro. O filho adotivo é criado junto a outras quatro crianças, como reportou o UOL.

Após um mandado de busca e apreensão, as autoridades descobriram uma câmera de monitoramento no local que revelou imagens de abuso físico e emocional ao adolescente, que supostamente ficaria preso dentro de uma espécie de caixa com pouco mais de seis metros quadrados.

Como revelou a emissora local CBS12, o relatório policial informou que dentro do cubículo havia apenas um balde, um colchão e uma câmera. O trinco para trancar a porta da caixa estava apenas do lado de fora, assim como o interruptor de luz.

Tracy foi questionada pelos oficiais sobre para que eles utilizariam o cubículo, mas eles receberam respostas confusas. Primeiro, respondeu que era um escritório, depois um depósito. Por último, afirmou que era uma "sala utilizada por seus filhos".

A investigação continuou no dia seguinte, quando policiais encontraram o jovem na escola. Ele disse que fugiu porque "sentia que ninguém o amava" e que era vítima de maus-tratos.

Também revelou que os pais o trancavam no cubículo por 18 horas, onde ele fazia a própria limpeza e usava um balde como banheiro, podendo sair apenas para ir ao colégio.

Abusos físicos como agressões com objetos, incluindo cintos e uma corda de pular, e ser alvo de cusparadas, também foram relatadas pelo garoto. "Milhares de vídeos mostram o menino sendo trancado no quarto diariamente. É possível ouvir a porta se fechar e a tranca bater", ressalta o relatório da polícia.

Em uma das gravações, o adolescente é aprisionado no cubículo por ter “roubado chocolates e biscoitos”, em um momento em que Timothy, o pai do menino, grita, o agarra e atira o colchão contra a parede. Outro registro mostra o homem gritando com o garoto para que ele limpe o balde usado para necessidades básicas.

As autoridades informaram que o jovem implorou para ser levado à prisão por não querer voltar para casa. O casal enfrenta acusações de abuso infantil e cárcere privado e estão presos. Eles podem responder em liberdade caso paguem uma fiança de R$ 50 mil, mas não poderão ter contato com os filhos sem a presença de uma autoridade.