Notícias » Estados Unidos

Filho de Trump pediu que pai interviesse na invasão ao Capitólio

Mensagens trocadas por Trump Jr. com o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, no dia 6 de janeiro foram reveladas em investigação

Isabela Barreiros Publicado em 15/12/2021, às 09h50

Donald Trump Jr. e o pai, Donald Trump, ex-presidente dos EUA
Donald Trump Jr. e o pai, Donald Trump, ex-presidente dos EUA - Getty Images

O filho do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Donald Trump Jr. enviou mensagens ao chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, afirmando que seu pai deveria intervir na invasão ao Capitólio, que ocorreu em 6 de janeiro.

Os textos foram revelados pelo comitê da Câmara que investiga a rebelião na última quarta-feira, 14. Eles foram lidos pela vice-presidente do comitê, a deputada republicana Liz Cheney, de Wyoming.

Ele tem que condenar essa m… o mais rápido possível. O Tweet da Polícia do Capitólio não é suficiente”, escreveu Trump Jr.

Entre as mensagens, estaria um pedido a Meadows para que seu pai interviesse no motim, dizendo que a situação “saiu do controle” e outros termos fortes para expressar sua preocupação.

Depois que o chefe de gabinete respondeu que concordava, Trump Jr. afirmou: “Precisamos de um pronunciamento do Salão Oval da Casa Branca. Ele tem que liderar agora. Foi longe demais e saiu do controle”.

O então presidente foi criticado por não intervir na invasão, como destacou a BBC News. Ele agiu depois de inúmeros pedidos de assessores e aliados do Congresso, quando divulgou um vídeo em que pedia que seus apoiadores voltassem para casa.

“Essas mensagens de texto não deixam dúvidas: a Casa Branca sabia exatamente o que estava acontecendo aqui no Capitólio”, afirmou Liz Cheney.