Notícias » Entretenimento

Filme que reproduz a saga de Diana durante divórcio com Charles pode estrear no Festival de Veneza

O longa apresenta Kristen Stewart no papel da eterna 'princesa do povo'

Redação Publicado em 12/07/2021, às 16h11

Cena do filme 'Spencer'
Cena do filme 'Spencer' - Divulgação

Um dos filmes mais aguardados pelos amantes da monarquia inglesa pode estar na programação do tradicional Festival de Cinema de Veneza, marcado para ocorrer nos primeiros dias de setembro.

Se trata da obra cinematográfica ‘Spencer’, que apresenta a talentosa Kristen Stewart no papel de Lady Di, a eterna princesa do povo, com roteiro de Steven Kinight (de Peaky Blinders) e direção de Pablo Larraín (de Jackie).

As informações foram divulgadas pela Variety e repercutidas pelo Tecmundo. O renomado festival ocorrerá entre os dias 1° e 11 de setembro, assim contaria com a estreia do longa.

Segundo Kristen, o filme reproduz os momentos turbulentos de Diana durante a sua superação com Charles, filho de Elizabeth II e príncipe de Gales.

"Dezembro de 1991: o casamento do Príncipe e da Princesa de Gales esfriou há muito tempo. Embora haja muitos rumores de casos e divórcio, a paz foi ordenada para as festividades de Natal em Sandringham Estate. Há comida e bebida, tiro e caça. Diana conhece o jogo. Este ano, as coisas serão muito diferentes", resume a sinopse da produção.

Sobre Diana

O almejo da Família Real Britânica pelo trono máximo se tornou uma disputa de séculos na monarquia — sendo palco de inúmeras polêmicas. Na segunda metade do século 20, no entanto, uma figurinha de fora da família foi integrada para entrar na história do Reino Unido.

Diana se casou com o príncipe Charles, filho da rainha Elizabeth II, captando as atenções para um dos relacionamentos mais populares do mundo. No entanto, no dia 31 de agosto de 1997, um acidente fatal chocava a todos. Entre suas vítimas, estava uma das mulheres mais adoradas do mundo: Diana Spencer, a Princesa de Gales.

A morte da princesa foi tema de debate e teorias da conspiração por muitos anos, enquanto alguns acreditavam que a família de Elizabeth II estava por trás do trágico acidente, outros se questionavam se a filantropa deveria receber um funeral real, visto que ela já não era mais parte da monarquia britânica.