Notícias » Bizarro

Fim do mundo? Entenda a confusão por trás da nova interpretação do calendário maia

Teoria indica que o fim dos tempos acontecerá no próximo dia 21, no entanto, fatos desmentem a hipótese

Fabio Previdelli Publicado em 15/06/2020, às 16h40

Imagem do calendário Maia
Imagem do calendário Maia - Divulgação

21 de dezembro de 2012: para muitos essa data pode ser só mais uma outra qualquer, mas na ocasião, teóricos conspiratórios a usaram como o possível dia em que o mundo acabaria. Tudo começou com a interpretação do calendário maia que, supostamente, terminava naquele momento.

Bom, como todos sabem, o apocalipse não chegou, no entanto, uma especulação afirma que ela está tão certa e que nunca esteve tão próxima de se concretizar: acontecendo já na semana que vem. 

Essa nova história começou há alguns dias com uma matéria publicada no jornal britânico The Mirror, que usava um tweet do cientista Paolo Tagaloguin para explicar a lógica por trás dessa loucura.

"Seguindo o calendário juliano, estamos tecnicamente em 2012”, diz Paolo. “O número de dias perdidos em um ano devido à mudança no calendário gregoriano é de 11 dias. Assim, usando o calendário gregoriano (1752-2020) por 268 anos, temos [11 x 268] = 2.948 dias. 2.948 dias dividido por 365 (dias/ano) = 8 anos”. Seguindo a explicação, esse tempo somado levaria ao dia 21 de junho de 2020, próximo domingo.

Pode até aparecer assustador, mas o fato é que não há nenhuma fonte muito confiável que confirme essa teoria. Afinal, o próprio The Mirror apagou a publicação e os tweets atribuídos ao tal do Paolo Tagaloguin não existem mais na rede social.

Outro ponto a se discutir são os próprios cálculos apresentados, que usam de um fato para apresentarem uma informação falsa. Durante a mudança do calendário juliano para o gregoriano, realmente houve usa subtração de 11 dias, porém, isso só aconteceu em uma única ocasião, ou seja, não foram subtraídos esses dias por 268 anos.

Além do mais, quando se chegou a data de 21 de dezembro de 2012, esse dia já estava convertido do calendário juliano para o gregoriano, então, sendo assim, esse é mais um ponto furado nessa narrativa.

Por último, mas não menos importante, é o que a previsão do fim do mundo sequer estava correta. Naquela época, o povo pré-colombiano usava uma medida de unidade de tempo diferente da nossa e o dia 21 de dezembro de 2012 representaria apenas uma virada de calendário, que marcaria o começo de um novo ciclo — uma situação semelhante a virada do ano de 1999 para 2000.