Notícias » Arqueologia

Flecha incrivelmente preservada de 1.700 anos é encontrada na Noruega

O artefato foi desenterrado de uma das montanhas geladas do país

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 12/05/2022, às 11h49

Fotografia da flecha logo após ser encontrada
Fotografia da flecha logo após ser encontrada - Divulgação/Glacier Archaeology Program Innlandet

Recentemente, a equipe de exploração arqueológica do Secrets of the Ice (Ou "Segredos do Gelo", em português), fizeram mais uma descoberta impressionante nas montanhas geladas da Noruega

O artefato da vez é uma flecha em incrível estado de preservação: "Ponta de flecha, tendão, haste, penas, está tudo lá", comemorou uma publicação do Twitter oficial do programa. 

A descoberta foi comparada por especialistas com as flechas enterradas com Ötzi, a famosa múmia de gelo trazida à superfície em 1991. 

“Acho que talvez seja apenas o túmulo de Ötzi que tinha flechas com penas preservadas, mas suas penas de flecha não estão tão bem preservadas quanto algumas das nossas”, explicou o arqueólogo Lars Pilø, que é co-diretor do projeto nomeado como Secrets of the Ice.

Ele enfatizou, contudo, que essa múmia também era mais antiga por milênios. 

Estudo

Outro ângulo da flecha descoberta / Crédito: Divulgação/Glacier Archaeology Program Innlandet

Um detalhe curioso é que os pesquisadores retiraram a flecha do gelo através do uso de água morna para serem capazes de destacá-la com menor dificuldade e sem provocar danos. 

Também de modo a evitar alterar o achado, foi tomada a decisão de não se realizar a datação de radiocarbono, o que necessitaria que um pedaço do artefato fosse retirado, conforme repercutido pelo LiveScience.  

Em vez da análise laboratorial, a equipe de especialistas estudou o modelo da arma, o que permitiu datá-la do período entre 300 d.C e 600 d.C, na Idade do Ferro

“O tipo de haste é conhecido pelos sacrifícios de armas dinamarquesas encontradas em pântanos, e a ponta de flecha também é um modelo bem conhecido de sepulturas no sul da Noruega”, explicou Pilø.

O próximo passo da pesquisa é procurar identificar o tipo madeira usada para a haste do objeto e a espécie do pássaro cuja pena foi presa à flecha.