Notícias » Crimes

Flordelis poderá perder guarda de filha adotiva, diz jornal

Garota de 14 anos foi levada até um uma casa de acolhimento após ter se mutilado depois de uma discussão com a parlamentar

Fabio Previdelli Publicado em 09/12/2020, às 15h15 - Atualizado às 16h43

Fotografia da deputada federal Flordelis
Fotografia da deputada federal Flordelis - Wikimedia Commons

No final do mês passado, a deputada federal Flordelis usou as redes sociais para se manifestar após uma testemunha citar em depoimento que sua filha adotiva se automutilou depois de uma briga entre as duas. Na ocasião, a parlamentar se defendeu e disse “aguentei muitas calúnias”.  

Junto à publicação, a deputada também postou um vídeo de uma visita que teria feito à filha. “Gravei esse vídeo ontem quando fui visitar a minha filha no hospital, ela foi internada pra tratar de problemas emocionais causados por mentiras que foram feitas contra nós”.   

Porém, parece que a Justiça não entendeu da mesma forma o episódio envolveu sua filha adotiva, afinal, segundo informações do O Globo, a parlamentar pode perder a guarda definitiva da menina de 14 anos, que foi levada para uma casa de acolhimento após denúncias de que teria usado um estilete para escrever em seu próprio braço a frase “EU S LIXO”, após ter sido ofendida dessa forma por Flordelis

Com isso, a menina passará por uma avaliação que será feita pela equipe técnica da Vara da Infância e Juventude de Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Até esse momento, a juíza Rhohemara dos Santos Carvalho determinou a perda provisória da guarda da adolescente pela parlamentar. Porém, até o fim do processo, Flordelis poderá perder definitivamente a guarda da adolescente.

O crime

Um ano e dois meses de puro silêncio até que o nome do pastor Anderson do Carmo voltar às manchetes. No dia 16 de junho de 2019, mais de 30 tiros foram disparados contra o homem em um caso que chocou o país.

Meses mais tarde, a Operação Lucas 12, em referência ao capítulo bíblico de mesmo nome, desmascarou outros integrantes do assassinato. No total, onze familiares e amigos do pastor foram indiciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

Entre os acusados, o nome mais surpreendente é o de Flordelis dos Santos de Souza, a esposa da vítima. Além dela, mais cinco dos 55 filhos do casal foram indiciados e presos pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, no dia 24 de agosto de 2020.