Notícias » Brasil

Flordelis recebeu a mesma punição que deputado que causou escândalo ao fazer ensaio de cueca

Em 1946, o deputado Barreto Pinto posou só de samba-canção, gerando uma polêmica que resultou na cassação de seu mandato

Redação Publicado em 12/08/2021, às 13h23

Na imagem da esquerda, a deputada Flordelis. Na direita, a polêmica capa da revista Cruzeiro
Na imagem da esquerda, a deputada Flordelis. Na direita, a polêmica capa da revista Cruzeiro - Pablo Valadares/Wikimedia Commons - Divulgação/Jean Manzon/O Cruzeiro

De acordo com o G1, na última quarta-feira, 11, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teve o mandato cassado por quebra de decoro e entrou com pedido de habeas corpus para evitar sua prisão. Ela é acusada de ter ordenado a morte do marido, o pastor Anderson do Carmo.

A quebra de decoro é um dos motivos que mais levam à cassação de mandatos de políticos no Brasil. Muitos não sabem, mas o primeiro a ser pego pela lei foi o deputado Edmundo BarretoPinto, do PTB do Distrito Federal, devido a um episódio ocorrido no ano de 1946.

Na época, Barreto Pinto deu uma entrevista para a revista O Cruzeiro e acabou sendo fotografado usando apenas uma cueca samba-canção branca e casaca. Conforme a Folha, ao ser visto na capa da revista em trajes incompatíveis com sua posição, o político teve seu mandato cassado.

Barreto Pinto sempre afirmou ter sido manipulado pelo jornalista e pelo fotógrafo responsáveis pela matéria. Segundo ele, a dupla teria sugerido que o político tirasse a calça, em razão do forte calor que fazia no dia. Os profissionais asseguraram-lhe que a câmera o enquadraria somente da cintura para cima, mas ocorreu exatamente o contrário.

Entretanto, apesar do escândalo, o desligamento de Barreto Pinto da política se deu somente três anos depois. Antes disso, ele ainda participou de uma peça de teatro usando a mesma combinação de roubas, zombando da repercussão do caso.