Notícias » Estados Unidos

Fóssil de 67 milhões de anos revela espécie de dinossauro, até então, desconhecida

A descoberta realizada no Novo México acrescenta uma novidade sobre a nossa compreensão da idade dos dinossauros

Penélope Coelho Publicado em 27/03/2020, às 08h00

Reconstituição do Dineobellator notohesperus
Reconstituição do Dineobellator notohesperus - Divulgação

Escavações no Estado americano do Novo México revelaram um fóssil de dinossauro de uma espécie desconhecida pela ciência até então. Através da descoberta foi possível obter informações detalhadas sobre essa criatura carnívora de penas, com mais de 67 milhões de anos.

Uma equipe liderada por Steven Jasinski, do Museu Estadual da Pensilvânia, descobriu 20 elementos esqueléticos identificáveis ​​no depósitos da Formação Ojo Alamo na Bacia de San Juan, Novo México. Eles nomearam o novo dinossauro de Dineobellator notohesperus, da palavra navajo Diné, que significa povo navajo (um tribo indígena da América do Norte), e do termo latino bellator, que significa guerreiro.

 Descoberta original do Dineobellator notohesperus, apontando a garra da mão entre outros fragmentos ósseos / Crédito: Divulgação

 

Os pesquisadores relatam uma série de características únicas dessa espécie, incluindo vértebras próximas à base da cauda do dinossauro que se curvavam para dentro, o que poderia ter aumentado sua agilidade e melhorado o sucesso de sua caça.

No fóssil foi encontrado uma grande marca de garra em forma de foice em sua cabeça, possivelmente ocasionada por uma briga com outro dinossauro, que os estudiosos especulam ser o Tiranossauro Rex.

Desenho representavivo do Dineobellator / Crédito: Divulgação

 

As descobertas, contribuem para uma maior compreensão da linha do tempo, e indicam que essa família de dinossauros ainda estava viva no final do período cretáceo, antes da extinção em massa que exterminou os dinossauros há 65,5 milhões de anos. Os Dineobellators notohesperus, são possivelmente os últimos raptores descobertos até então.