Notícias » Paleontologia

Fóssil de 7 milhões de anos sugere relação entre crocodilos da África e das Américas

A partir da análise do crânio, paleontólogos descobriram raras características presentes apenas em algumas espécies do animal

Pamela Malva Publicado em 27/07/2020, às 14h00

Imagens do crânio de crocodilo encontrado na Líbia
Imagens do crânio de crocodilo encontrado na Líbia - Divulgação

A fim de estudar a relação entre algumas espécies de crocodilos, uma equipe de paleontólogos da Itália e da Espanha analisou o único crânio do Crocodylus checchiai. Extinto há 7 milhões de anos, a espécie vivia no território da atual Líbia.

Segundo o estudo, publicado na revista Scientific Reports, o fóssil bem preservado foi comparado com outras quatro espécies de crocodilos das Américas vivas até hoje. Descobriu-se, então, uma íntima relação entre os indivíduos.

Inicialmente encontrado no norte da Líbia, em 1938, o crânio de 7 milhões de anos foi submetido à uma tomografia computadorizada. Os cientistas, então, identificaram características únicas no fóssil, presentes apenas em crocodilos americanos.

Assim, os resultados sugerem que os Crocodylus checchiai são possíveis antepassados dos répteis que conhecemos hoje. Acredita-se, portanto, que eles tanham migrado da África para a América durante o período conhecido como Mioceno.