Notícias » Arqueologia

Fóssil de cobra-cega enorme é revelado em Ribeirão Preto

O espécime recém-descoberto tem três vezes o tamanho das cobra-cegas atuais

Ingredi Brunato Publicado em 14/12/2020, às 13h38

Reconstituição artística da cobra-cega
Reconstituição artística da cobra-cega - Divulgação/  Jorge Blanco

Recentemente, paleontólogos da USP de Ribeirão Preto publicaram no iScience a descoberta de um fóssil pertencente a uma espécie, até então, desconhecida de cobra-cega, um animal que habita o subsolo e por isso possui olhos reduzidos. A serpente, hoje extinta, viveu há 87,8 milhões de anos.

O espécime inédito foi encontrado em Monte Alto, um município paulista localizado na Região Metropolitana de Ribeirão Preto. O local é conhecido pelas descobertas de diversos outros fósseis de dinossauros e também crocodilos, inclusive contando com um museu de paleontologia.

Um diferencial da espécie recém-descoberta, que foi chamada de Boipeba tayasuensis, é que ela tinha 1 metro de comprimento, o que é mais que o triplo do tamanho que as cobras-cegas atuais alcançam.

Fotografia de uma cobra-cega atual / Crédito: Divulgação/  Thiago Marcial de Castro

 

“A descrição dessa nova espécie sugere que as cobras-cegas devem ter passado por um processo evolutivo de miniaturização posterior. O trabalho também indica que elas chegaram a viver perto do fim da era Mesozoica, quando ainda havia dinossauros”, comentou a especialista Annie Schmaltz Hsiou, que foi a coordenadora do estudo, de acordo com o site MSN. 

Confira o estudo completo aqui.