Notícias » Paleontologia

Fóssil de morcego de 16 milhões de anos é descoberto na Espanha

Em um sítio paleontológico, pesquisadores encontraram restos do animal que pertence a uma espécie nunca antes vista

Isabela Barreiros Publicado em 04/12/2020, às 07h00

Imagem ilustrativa de morcegos
Imagem ilustrativa de morcegos - Pixabay

Um estudo realizado no sítio sítio paleontológico de Mas d'Antolino B, na cidade de l'Alcora, na região de Valência, na Espanha, revelou uma descoberta impressionante para a ciência. O local está classificado como pertencente a era geológica do baixo Mioceno e revelou o fóssil de um morcego de 16 milhões de anos.

A descoberta foi feita pelos pesquisadores Francisco J. Ruiz Sánchez e Plini Montoya da Universidade de Valência em conjunto com outros especialistas e suas considerações foram publicadas na revista científica Earth and Environmental Science Transactions da Royal Society of Edinburgh. 

O mais impressionante é que o morcego faz parte de uma espécie nunca antes vista. Ele recebeu o nome de Cuvierimops penalveri, uma homenagem feita ao importante paleontólogo Enrique Peñalver. O animal também pertence a um gênero que os cientistas acreditavam estar extinto 10 milhões de anos antes de ele ter nascido, o que surpreendeu ainda mais.

A pesquisa descobriu também diversos esqueletos fósseis de morcegos na região, especialmente no município em que está localizado o sítio. As escavações realizadas no local revelaram ainda restos de animal pertencente a um novo gênero, que não havia sido descoberto fisicamente até o momento.