Notícias » Paleontologia

Fóssil encontrado há 17 anos é de rara espécie de preguiça-gigante

Após inúmeras pesquisas, concluiu-se que o chamado Sibotherium Ka viveu há cerca de 5,8 milhões de anos, na Costa Rica

Penélope Coelho Publicado em 22/09/2020, às 10h16 - Atualizado às 10h17

Ilustração de como seriam as preguiças-gigantes
Ilustração de como seriam as preguiças-gigantes - Divulgação/Youtube

De acordo com informações divulgadas na última segunda-feira, 21, pelo portal de notícias UOL, cientistas do Museu Nacional da Costa Rica confirmaram que um fóssil encontrado há 17 anos pertence a uma nova espécie de preguiça-gigante.

O caso vem sendo estudado desde 2003, quando um garoto encontrou fragmentos do animal no sul da Costa Rica. Após inúmeras pesquisas realizadas a partir de restos fossilizados do animal, como membros anteriores e posteriores, molares, costelas e vértebras, os cientistas chegaram à conclusão de que o fóssil pertence a um novo gênero de preguiça-gigante.

O animal recebeu o nome de Sibotherium Ka. De acordo com os estudiosos, viveu há cerca de 5,8 milhões de anos naquela região, chegando a medir aproximadamente três metros de altura.

Ainda segundo o museu, a pesquisa demorou cerca de sete anos para ser concluída, com pelo menos mais dois anos de comparações com restos de outros fósseis de preguiças. A partir disso, foi possível notar que, até o momento, não existem registros de Sibotherium Ka em outras partes do mundo.