Notícias » Entretenimento

Framboesa de Ouro: Criadores se arrependem por indicar Shelley Duval

A artista foi indicada ao prêmio de Pior Atriz por sua atuação em ‘O Iluminado’, de Stanley Kubrick

Fabio Previdelli Publicado em 24/02/2022, às 18h00

Cena do filme O Iluminado
Cena do filme O Iluminado - Divulgação/ Warner Bros. Pictures

Todos os anos, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas realiza a entrega do Oscar a diversos profissionais da indústria cinematográfica. Desde 1981, porém, o prêmio ganhou um concorrente nada convencional: o Golden Raspberry Awards, o popular Framboesa de Ouro, que premia os piores filmes do ano. 

Na primeira edição do Oscar às avessas, porém, uma das premiações chamou a atenção: na categoria Pior Atriz, Shelley Duvall foi indicada por seu papel no clássico de Stanley Kubrick, ‘O Iluminado’.

Maureen Murphy, um dos criadores do prêmio, se diz arrependido pela indicação. "Para mim, é Shelley Duvall em 'O Iluminado'. Conhecendo a história de fundo e a maneira como Stanley Kubrick a esmagou, eu a retiraria [do prêmio]", relatou o portal Vulture. 

Na ocasião, a atriz acabou ‘perdendo’ o prêmio para Brooke Shields que havia estrelado outro clássico: ‘A Lagoa Azul’. Conforme recorda matéria publicada pela equipe do site do Aventuras na História, Duvall ficou traumatizada apos as gravações do filme, principalmente pelo método de trabalho de Kubrick

Por esse motivo, John JB Wilson, outro criador do Framboesa de Ouro, diz que manteria o nome do diretor na categoria de Pior Direção, vencida por Robert Greenwald, pelo longa ‘Xanadu’. 

O romance [de Stephen King] era muito mais surpreendente visualmente falando, muito mais aterrorizante, muito mais atraente. Pelo que entendi, Kubrick foi quem decidiu o que eles cortaram do romance. Então eu não me sinto tão mal por [ter indicado] Stanley Kubrick", disse Wilson

"Exatamente. Acho que esse cara é superestimado. Ele fez um bom filme e só. Estamos dispostos a dizer: 'Sim, talvez isso não devesse ter sido indicado'. Todos cometem erros. Isso é ser humano", concluiu Murphy.