Notícias » Europa

França passa lei que proíbe a venda de cães e gatos em pet shops

O Senado francês aprovou uma legislação que fortalece a proteção dos animais de estimação

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/11/2021, às 16h56

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Pixabay / huoadg5888

Com mais de metade da população francesa tendo um animal de estimação, sejam gatos, cachorros, peixes, mas, com, também, cerca de 100.000 abandonos por ano, o Senado da França aprovou uma legislação que fortalece a proteção dos bichinhos nesta quinta-feira, 18, proibindo a venda de filhotes de cães e gatos em pet shops.

Além desta proibição, a lei passada também torna mais rígidas as punições para quaisquer maus-tratos a animais de estimação. O abandono também será encarado com pena mais severa e o ato de matar um ‘pet’ será considerado e julgado como um crime e não mais como uma simples ofensa.

A partir de 1º de janeiro de 2024, não será mais permitida esta venda de filhotes em pet shops físicos e qualquer venda deste tipo pela internet será extremamente regulamentada. Justificando esta legislação, o ministro da Agricultura francês, Julien Denormandie, foi ao Twitter comemorar a aprovação.

“Animais de estimação não são nem brinquedos, nem mercadorias, nem produtos de consumo”, afirmou em sua rede social.

Junto com estas limitações aos animais de estimação, a nova lei também impacta os mais de 100 circos itinerantes presentes na França, proibindo que mantenham e se apresentem com os animais selvagens que ainda eram permitidos no país. As informações são da cobertura do UOL.

No entanto, a legislação não está sendo aprovada pelo sindicato do setor de circos e delfinários, aquários para golfinhos, com organizações de manifestações e o presidente do sindicato opinando sobre a nova lei.

"Esta é uma lei arbitrária, já que não há abuso de animais nos nossos circos", afirmou William Kermich.