Notícias » Estados Unidos

Funcionário do Pentágono afirma que Estado Islâmico no Afeganistão poderá atacar os EUA em 6 meses

A declaração foi feita pelo subsecretário para políticas de defesa, Colin Kahl

Redação Publicado em 27/10/2021, às 09h13

O funcionário do Pentágono, Colin Kahl
O funcionário do Pentágono, Colin Kahl - Getty Images

Colin Kahl, um alto funcionário do Pentágono afirmou em depoimento ao Congresso, que o Estado Islâmico no Afeganistão poderá atacar os Estados Unidos dentro seis meses e que ainda não se sabe se o Talibã possui a força necessária para combater o grupo.

As preocupações de Washington surgem após uma série de atentados reivindicados pelo EI-Kn (Estado Islâmico Khorasan) terem ocorrido recentemente, como o ataque a uma mesquita que deixou 32 mortos.

Kahl, que atua como subsecretário de políticas para defesa, acredita que o país pode ser uma ameaça aos EUA, mesmo após a guerra de 20 anos que se encerrou no mês de agosto, quando as tropas norte-americanas deixaram o Afeganistão.

"Se entende, atualmente, que EI-K e al Qaeda têm a intenção de conduzir operações externas, incluindo contra os EUA, mas nenhuma delas têm a capacidade, neste momento, de fazê-lo", disse o secretário. "Nós acreditamos que o EI-K consiga atingir essa capacidade entre 6 e 12 meses". Já a al Qaeda necessitaria de "um ou dois anos", declarou o funcionário, conforme informações do G1.

"É nossa análise que os talibãs e o EI-K são inimigos mortais. Portanto, o Talibã está altamente motivado a ir atrás do EI-K. Sua capacidade de fazer isso, eu acho, deve ser firme", finalizou Kahl.