Notícias » Bizarro

Fungo parasita transforma cigarras em “zumbis”, aponta estudo

Insetos passam a ser controlados por componentes alucinógenos que causam a doença

Isabela Barreiros Publicado em 04/08/2020, às 14h38

Imagem ilustrativa de cigarra
Imagem ilustrativa de cigarra - Wikimedia Commons

Cientistas da West Virginia University, nos Estados Unidos, publicaram um novo estudo na revista científica PLOS Pathogens analisando a peculiaridade de uma população de cigarras. Segundo informa a CNN do EUA, os insetos foram infectados por um fungo parasita que as controla, o que gerou o apelido “cigarras zumbi”.

Os pesquisadores afirmam que os animais ficam sob a influência do fungo Massospora, componente de alguns cogumelos alucinógenos, e tentam contaminar outros insetos. Um comunicado da universidade alegou que a situação das cigarras é "uma exibição perturbadora das proporções de filmes tipo B de terror".

No começo, os esporos atingem os órgãos genitais e o abdômen, logo substituídos por outros capazes de transmitir a doença para mais insetos. Embora as cigarras infectadas não possam acasalar, capacidade destruída pelo fungo, elas ainda tentam, com o único intuito de passar a doença sexualmente.

"Se um de nossos membros fosse retirado ou se nosso estômago fosse cortado, provavelmente estaríamos incapacitados. Mas as cigarras infectadas, apesar de um terço de seu corpo ter caído, continuam realizando suas atividades como acasalar e voar, como se nada tivesse acontecido. Isso é realmente, realmente único para os fungos que matam insetos”, explicou o co-autor do estudo, Matthew Kasson.

Em vez de sucumbir, devido ao fato de seu corpo ter sido substituído por tecido fúngico, a cigarra segue normalmente com sua vida. O responsável por isso ainda é o fungo, que manipula e controla o comportamento dos insetos para mantê-lo vivo.

A doença atingiu três populações de cigarras, segundo o estudo de Kasson. Acredita-se que o fungo não seja um grande perigo para os insetos de maneira geral.