Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Gabriel Monteiro

Gabriel Monteiro se torna réu por importunação e assédio sexual

Vereador é acusado por ex-assessora de abraços, beijos e outros comportamentos sexuais sem consentimento

Redação Publicado em 06/07/2022, às 12h29

Vereador Gabriel Monteiro - Divulgaçã/Instagram/@gabrielmonteiropm
Vereador Gabriel Monteiro - Divulgaçã/Instagram/@gabrielmonteiropm

O vereador Gabriel Monteiro se tornou réu por importunação sexual e assédio sexual contra sua ex-assessora após a Justiça do Rio de Janeiro aceitar uma denúncia do Ministério Público feita no dia 14 de junho.

Os crimes começaram a ser investigados no final de março, desde que um inquérito foi aberto pela Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (Deam-Jacarepaguá) para apurar a situação contra a ex-assessora de Monteiro, Luiza Caroline Bezerra Batista.

"Após análise do conjunto probatório, o autor foi indiciado pelos crimes de importunação e assédio sexual", declarou a delegada Viviane Costa, titular da Deam-Jacarepaguá, ao g1.

O caso veio a tona com relatos da ex-assessora transmitidos em uma reportagem do programa da Globo Fantástico, exibido no final de março. Nas falas, Luiza conta detalhes sobre as situações vividas com o parlamentar, incluindo abraços, beijos e carinhos sem consentimento “em todas as regiões do corpo”.

“Ele me abraçava por trás, ‘te amo’, beijava o meu rosto, saía de pênis ereto. Cansou de passar a mão na minha bunda”, disse ela.

"Uma vez foi no carro, que ele começou pedindo para fazer massagem no meu pé. Puxou meu pé e fez massagem. Eu tentava tirar o pé e ele segurava. Aí foi começando a passar a mão nas minhas pernas. Foi para o banco de trás e começou a me agarrar, me morder, me lamber", narrou.

Segundo o g1, Luiza trabalhou como assistente de produção do vereador e, depois de sete meses, procurou ajuda psiquiátrica. Ela também registrou queixa na polícia.

"Eu queria tirar minha própria vida, porque eu me sentia culpada. Será que estou usando alguma roupa que está causando isso? Será que a culpa é minha de alguma forma? Aí eu começava a pedir a Deus para me levar", relatou.

O que diz Monteiro

A defesa do parlamentar alega que a denúncia “foi realizada por ex-assessores que já confirmaram trabalhar para a máfia do reboque” e que “na ocasião, outros funcionários estavam dentro do carro com a suposta vítima e desmentiram na delegacia sua versão de assédio”.