Notícias » Brasil

Gabriel O Pensador diz ter sido vítima de censura por clipe gravado em cemitério: 'Muito barulho mas sem fundamento'

Em ‘Patriota Comunista’ o rapper critica o governo pelo combate à pandemia e recorda de todos que perderam a vida por conta da Covid, o que inclui seu pai

Fabio Previdelli Publicado em 22/07/2021, às 14h37

Cena de Patriota Conunista
Cena de Patriota Conunista - Divulgação/YouTube/Gabriel O Pensador

Na noite da última quarta-feira, 21, o rapper Gabriel O Pensador publicou no YouTube o clipe de sua nova música de trabalho: ‘Patriota Comunista’, onde crítica não só a conduta do atual governo diante da pandemia do Covid-19, como também episódios de preconceito envolvendo nossa sociedade, além de recordar todos que morreram nos últimos meses. 

Em pouco mais de um dia, o clipe já possui mais de 330 mil visualizações e mais de 45 mil curtidas, porém, nem todos parecem ter gostado da produção. Como mostra matéria da Gaúcha ZH, na semana passada, Juliana Lessa, uma moradora de Uberlândia, onde parte do clipe foram gravados, entrou com um ofício contra o vídeo.  

No documento enviado junto ao vereador Antônio Augusto, conhecido como Queijinho, para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Juliana questiona se o poder público autorizou as gravações. 

Afinal, em determinado momento, Gabriel aparece em um cemitério da cidade ao falar sobre as vítimas do novo coronavírus no Brasil — o que inclui seu pai, Miguel. Lessa, que diz ter enterrado seus pais a oito meses no cemitério Parque dos Buritis, onde as filmagens foram feitas, alegou se sentir desconfortável e desrespeitada com a gravação no local.  

“Em plena pandemia, onde já temos mais de 500 mil mortos no Brasil e quase 2800 em nossa cidade, temos que deparar com pessoas que querem aproveitar dessa situação muito triste, numa atitude completamente sem noção”, escreveu Juliana em seu Instagram.  

Após a publicação do clipe, o rapper se manifestou em algumas oportunidades. Numa delas, afirmou estar sofrendo censura e sendo intimidado. 

“Comecei a carreira sendo censurado e censurando a censura. Venci a hipocrisia e os aproveitadores de plantão mais de uma vez. Tentaram me intimidar com duas notificações hoje e tentativa de censura prévia. Muito barulho mas sem fundamento. O clipe Patriota Comunista foi gravado num cemitério muito criterioso e sério, escolhido justamente porque queríamos retratar com respeito e beleza os temas da letra da música, que incluem o respeito à morte e a vida. Por falar nisso, eu não nasci ontem”, escreveu um dia antes da divulgação. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Gabriel o Pensador (@gabrielopensadoroficial)

 

Já na tarde de ontem, o artista voltou a se manifestar ao agradecer o apoio do cemitério:  

"Manter a serenidade e o bom senso ao lidar com iniciativas maldosas nem sempre é fácil. Não sou dono da razão e esta é a minha única certeza, que procuro exercitar em situações adversas. Sofremos intimidação indevida e agora com a música lançada fica mais fácil entenderem que não era pra tanto, mas retiramos do clipe as imagens em que, mesmo de longe e sem possibilidade alguma de identificação, apareciam algumas lápides. Deixo aqui expresso meu respeito a todos, mas exijo que me respeitem também, e a minha liberdade de expressão".