Notícias » Reino Unido

Garoto que foi torturado pelos pais ainda bebê poderá inspirar lei mais severa no Reino Unido

Tony Hudgell, que precisou amputar as duas pernas ainda bebê, viu seus pais biológicos condenados a apenas 10 anos de prisão; uma nova proposta pretende alterar a sentença máxima para crimes de violência contra crianças

Alana Sousa Publicado em 27/05/2021, às 07h00

Imagem meramente ilustrativa do Reino Unido
Imagem meramente ilustrativa do Reino Unido - Divulgação/Pixabay

Tony Hudgell sofreu agressões de seus pais biológicos quando era bebê, tais violências resultaram na amputação de ambas as pernas. Hoje com 6 anos, o garoto é símbolo de superação e poderá inspirara uma lei importante do Reino Unido.

Proposta pelo parlamentar Tom Tugendhat, a medida se aprovada poderá punir, com sentença de prisão perpétua, criminosos acusados de abusos contra crianças. A lei tem o apoio da família adotiva de Hudgell.

A criança tinha apenas 41 dias quando sofreu as agressões que lhe levaram a uma internação. Com infecção generalizada, a equipe não acreditava que o pequeno poderia sair com vida do hospital; Tony precisou amputar as duas pernas, mas sobreviveu.

Seus pais, Jody Simpson e Tony Smith, foram condenados a dez anos de prisão, sentença máxima para crimes como este no país. A revolta fez com que Tugendhat apresentasse uma medida mais severa. Intitulada Tony’s Law (Lei de Tony), a proposta aguarda votação para ser colocada em prática.

Em entrevista a BBC, o parlamentar comentou sobre sua ideia. Destacando que Tony era muito pequeno e “não pôde ver seus pais biológicos acusados do crime apropriado”. A nova lei, então, “garantirá que a responsabilidade deles seja clara, mesmo que um bebê não possa testemunhar”.