Notícias » Antigo Egito

Tumbas egípcias abrigam gatos mumificados há 4 500 anos

A descoberta inclui também múmias de escaravelhos e estátuas representando uma vaca, um leão e um falcão

Mariana Ribas Publicado em 12/11/2018, às 11h22 - Atualizado às 14h04

Entenda
Entenda - Getty Images

Se os murais do antigo Egito já deixavam claro o quanto esse povo gostava de gatos, uma descoberta realizada em Saqqara, a 30 quilômetros da cidade do Cairo, comprovou que os animais eram levados para o além junto com os donos. Um grupo de pesquisadores anunciou a descoberta de sete tumbas onde havia dezenas de gatos mumificados. De acordo com a crença dos egípcios, a prática garantinha a passagem dos seres vivos para o próximo mundo.

As múmias estão localizadas em uma tumba de 4 500 anos de idade, que data do período da Quinta Dinastia do Antigo Império.

Gatos mumificados Ministério de Antiguidades do Egito

Além das múmias, foram encontradas estatuetas representando gatos. Uma das esculturas é de bronze e presta homenagem à Bastet, uma deusa com corpo de mulher e cabeça de gato.

Escultura de gato em homenagem à Bastet Ministério de Antiguidades do Egito

O trabalho de escavação no local foi iniciado em abril, como parte de um esforço de recuperar o turismo no país, que sofre com anos de instabilidade política no Egito. 

A arqueóloga e professora Salima Ikram explicou, em entrevista sobre a descoberta, que a mumificação também servia para ofertar os animais aos deuses. Seria o equivalente, diz ela, a “acender velas para pedir benção ao morto”.

Escaravelhos mumificados Ministério de Antiguidades do Egito

Além dos gatos, também foram encontrados outros animais mumificados, incluindo uma coleção de escaravelhos, e estatuetas douradas de uma vaca, um leão e um falcão. Havia também amuletos de cobras e crocodilos feitos de madeira que, segundo Mostafa Waziri, Secretário Geral do Conselho Supremo de Antiguidades, são especialmente raros.