Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Crimes

'Golpista do Tinder' faz internautas relembrarem da mulher que fingiu ser Alessandra Ambrósio

Ambos os casos estão sendo comparados por se tratarem de golpes milionários aplicados através das redes sociais. Entenda!

Redação Publicado em 14/02/2022, às 18h00

Pôster de divulgação da série documental ‘O Impostor do Tinder’ - Divulgação/ Netflix
Pôster de divulgação da série documental ‘O Impostor do Tinder’ - Divulgação/ Netflix

No dia 2 de fevereiro, a Netflix lançou o documentário ‘O Impostor do Tinder’, que narra a história do criminoso que usava o aplicativo de relacionamentos para aplicar golpes. Agora, internautas estão comparando a trama insólita com o caso da mulher que fingiu ser a supermodelo Alessandra Ambrósiopara enganar sua vítima.

De um lado, a produção da Netflix narra como três mulheres escandinavas acabaram enganadas e extorquidas pelo mesmo homem. Do outro, o jogador italiano de vôlei Roberto Cazzaniga passou 15 anos acreditando que namorava a modelo brasileira.

No Twitter, então, a comediante Mhel Marrer comparou os dois casos: "O Golpista do Tinder, pra enganar mulheres, precisou alugar um jatinho, pagar hotéis caros e convencer que tinha muito dinheiro pra pagar o empréstimo. Pra uma mulher aplicar o mesmo golpe num homem, ela só precisou mandar uma foto da Alessandra Ambrósio".

A comediante se refere ao caso Shimon Hayut, homem que ficou conhecido como 'O Golpista do Tinder' após o lançamento do filme da Netflix. Sob a identidade falsa de Simon Leviev, ele dizia ser herdeiro de um magnata dos diamantes e, assim, atraía suas vítimas no Tinder — e, em seguida, lhes pedia empréstimos milionários.

O  jogador de vôlei Roberto Cazzaniga, por sua vez, foi vítima de uma prática conhecida como catfishinggolpe virtual onde uma pessoa diz ser outra para enganar seus alvos emocionalmente. Em certos casos, como o de Roberto, há também o dolo financeiro.


Relembre o caso

Em 23 de novembro de 2021, um programa de televisão italiano apresentou o caso de Roberto Cazzaniga que, por 15 anos, foi vítima de catfishing. O jogador, pensava manter uma relação virtual com a modelo brasileira Alessandra Ambrósio.

Segundo o atleta, em 2008, sua amiga, identificada como Manuela, teria lhe passado o contato de uma mulher chamada Maya. Ela, no entanto, dizia que aquele era apenas um pseudônimo, já que na realidade era uma das modelos mais famosas do mundo. 

Não, nós nunca nos conhecemos. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. Os contatos eram apenas pelo celular, quase que diariamente”, relatou Roberto ao Corriere della Sera. 

Ao longo de 15 anos, então, o jogador alega ter transferido cerca de 700 mil euros (cerca de R$ 4,4 milhões) para Maya. De acordo com a mídia local, a mulher começou a pedir dinheiro, em um primeiro momento, alegando que sua conta havia sido bloqueada em virtude de uma herança que ela teria que receber.

Eventualmente, Cazzaniga chegou a pedir dinheiro para amigos e familiares, a fim de ajudar a amada, que estaria sofrendo com um suposto problema cardíaco. O jogador, contudo, descobriu a verdade após seus familiares desconfiaram da relação.

Conforme aponta o G1, três pessoas estão sendo investigadas por participar da extorsão: Manuela e seu namorado; além de é uma mulher identificada como Valeria, que tem 50 anos e vive na Sardenha. Ela é apontada como a responsável pelo catfishing.