Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Governo define acordo para monitoramento de Amazônia por empresa de Musk

Além de internet para 19 mil escolas, outro grande acordo foi fechado em encontro

Alan de Oliveira | @baco.deoli | sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 21/05/2022, às 08h35

Bolsonaro e Elon Musk - Getty Images
Bolsonaro e Elon Musk - Getty Images

Em mais uma negociação aproveitando a vinda de Elon Musk ao Brasil, na sexta-feira, 20, o Governo Federal anunciou outra parceria ainda sem nome, sobre o "monitoramento ambiental" das queimadas e desmatamento na Amazônia.

Segundo o Ministro das Comunicações do país, Fabio Faria, mesmo com o suporte estrangeiro, nenhuma informação privilegiada será passada.

As iniciativas de tecnologias avançadas ainda aguardam abertura de licitação pública, mesmo estando com alguns acordos já assinados, como por exemplo, a viabilização de internet para mais de 19 mil escolas de difícil da região através da "Starlink".

O Brasil já possui um modelo de monitoramento das regiões florestais, entretanto, os números entregues em todas as atualizações de comparação com o desmatamento e queimadas ocorridos nos últimos meses fez o presidente Jair Bolsonaro questionar a qualidade de desempenho desses serviços.

"Casamento que só está começando"

Na coletiva, Bolsonaro ainda falou sobre assuntos com o empresário. Ele colocou a base de Alcântara à disposição da empresa Space X, uma vez que a região é considerada uma das melhores do mundo para lançamento se foguetes.

A base de lançamento de Alcântara está disponível [para lançamento de foguetes de Musk], como conversado entre ele e o comandante da Força Aérea", disse o chefe de estado.

Apesar do entusiasmo, Fabio Farias diz que por enquanto, nenhuma negociação em volta dos foguetes foi abordada. O foco foi para projetos de urgência na Amazônia.