Notícias » Arqueologia

Grãos de arroz com mais de mil anos são encontrados no Uzbequistão

O achado trouxe novos dados sobre a alimentação da época e ainda revelou as sementes de arroz mais antigas já descobertas na Ásia Central

Pamela Malva Publicado em 02/06/2020, às 15h30 - Atualizado às 15h43

Alguns dos grãos encontrados pelos arqueólogos
Alguns dos grãos encontrados pelos arqueólogos - Divulgação/Chen et al

A partir da descoberta e análise de duas antigas sementes de arroz, uma equipe de arqueólogos identificou que o grão foi um importante alimento da Ásia Central já em meados de 250 d.C.. O estudo foi publicado na revista Science China: Earth Science.

Descobertas no sítio arqueológico de Khalchayan, no sudeste do Uzbequistão, as sementes são do tipo japonica e datam de 1.750 anos. Segundo os cientistas, é um grão descendente do arroz Oryza rufipogon, bastante popular há 8 mil anos.

Os arqueólogos ainda determinaram que os grãos encontrados são os mais antigos já identificados na Ásia Central. Além deles, também foram desenterradas amostras de trigo carbonizado, cevada em duas fileiras, ervilhas, lentilhas e uvas. 

Os resultados da pesquisa podem indicar que o atual sistema alimentar da Ásia Central é mais recente do que pensamos. Assim, a alimentação baseada em naan, pilaf e carne ou laticínios pode ter se formado apenas há cerca de dois milênios.