Notícias » Clima

Greta Thunberg condena marcas da moda por contribuição em mudanças climáticas

Trajando um sobretudo na capa da Vogue, a ativista acrescentou que não compra uma peça de roupa nova há três anos

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/08/2021, às 13h38

Greta em aparição pública
Greta em aparição pública - Getty Images

A ativista sueca Greta Thunberg, 18, concedeu uma entrevista à revista Vogue Scandinavia e aproveitou para opinar sobre o impacto ambiental da indústria da moda, manifestando chateação com o que chamou de moda rápida ao debater sobre a demanda de produção desenfreada para atender tendências.

A ativista acrescentou críticas sobre campanhas publicitárias que mascaram a intensa produção industrial, uma das principais geradoras de poluentes no meio ambiente, e testes em animais, tentando parecerem mais sustentáveis e amigáveis. A técnica foi intitulada pela jovem como "greenwash" ("lavagem verde", em tradução livre do inglês).

As declarações, repercutidas pelo veículo britânico BBC, são embasadas na declaração da ONU que classificou a indústria da moda como a segunda mais poluente do mundo.

Perguntada sobre os gostos pessoais de vestimenta, ela afirmou que não compra uma nova peça há três anos e brincou: "Eu apenas peço coisas emprestadas de pessoas que conheço".

A jovem estampa a capa da revista de moda com um sobretudo oversized bege cobrindo um vestido amarelo enquanto acaricia um cavalo, tendo uma floresta como ambientação do ensaio.