Notícias » Estados Unidos

Grupo supremacista celebra resposta de Trump em debate

Os extremistas Proud Boys ficaram eufóricos depois que o presidente se recusou a condenar as atitudes violentas

Caio Tortamano Publicado em 30/09/2020, às 16h44

Foto de Donald Trump
Foto de Donald Trump - Wikimedia Commons

O primeiro debate presidencial entre Joe Biden, do partido democrata, e o atual presidente Donald Trump, dos republicanos, marcou o início de uma guerra ideológica nas eleições nos Estados Unidos.

Diante disso, um grupo supremacista branco chamado Proud Boys se entusiasmou com uma frase de Trump, a interpretando como uma demonstração de apoio.

Proud Boys é um grupo de extrema-direita que organiza constantemente manifestações contra outros manifestantes de ideologias contrárias, como o Black Lives Matter. A frase em questão ocorreu quando o intermediador do debate, Chris Wallace, pediu para que Trump comentasse a respeito do violento grupo, somente formado por homens brancos.

Wallace perguntou se o republicano condenaria as atitudes supremacistas de grupos específicos, que estão se espalhando cada vez mais pelo país, e ele respondeu: “Claro, estou disposto a condenar, mas eu diria que a maior parte das coisas que eu vejo pertencem a grupos de esquerda”.

A resposta deixou Joe Biden nada satisfeito, o que levou o democrata a pedir para que falasse especificamente dos Proud Boys.

Então, Trump endereçou uma mensagem direta ao grupo: “Proud Boys, recuem e permaneçam atentos. Vou falar o seguinte, alguém tem que fazer alguma coisa em relação aos Antifa e a esquerda, porque isso não é um problema da direita”. 

De acordo com a CNN, A fala foi interpretada como um incentivo às ações truculentas do grupo supremacista contra os manifestantes de esquerda — conhecidos como antifa (antifascista) —, e gerou ânimo entre os participantes do grupo em uma rede social chamada Parler, própria para nacionalistas de direita.