Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Gregor Mendel

Há 200 anos, nascia Gregor Mendel, o pai da genética

A história de Gregor Mendel, responsável por desvendar os mistérios da hereditariedade

Redação Publicado em 19/07/2022, às 19h14

Gregor Mendel completa 200 anos - Divulgação / Youtube / Verve Científica
Gregor Mendel completa 200 anos - Divulgação / Youtube / Verve Científica

Em 20 de julho de 1822, nasceu na pequena vila de Hynčice, no império Austríaco, Gregor Johann Mendel. De família humilde, não tinha muito para investir em sua educação, então, aos 21 anos de idade, em 1843, ele entrou no Monastério da Ordem de Santo Agostinho, na cidade de Brunn (Brno), atual República Tcheca, com a intenção de aprimorar seus estudos.

Quando se tornou monge, optou pelo nome “Gregor” e tinha como função supervisionar os jardins do mosteiro. Na época, o local era considerado um centro intelectual, e lá, ele ampliou seus conhecimentos científicos. Em 1851, Mendel foi estudar na Universidade de Viena.

Durante dois anos, ele estudou história natural, matemática e física. Quando retornou para Brno, Mendel atuou como professor de física e história natural em uma escola local por quatro anos. Lá construiu uma grande estufa e deu continuidade aos estudos iniciados em Viena.

O estudo das ervilhas

Em 1857, Gregor começou seus estudos com ervilhas, para tentar entender os princípios da hereditariedade, e sete características distintas da planta foram analisadas: altura, posição da flor, cor da flor, cor da semente, forma da semente, cor da vagem e forma da vagem. Cada característica apresentava duas variações: a cor da semente, por exemplo, poderia ser amarela ou verde e sua forma lisa ou rugosa.

O estudo de Mendel mostrou que ao cruzar plantas puras de características contrastantes, o resultado era uma geração inteira de plantas com a característica de apenas um dos parentais. Tal característica mais visível era chamada de dominante e a outra era a recessiva.

Já na segunda geração, resultante da autopolinização das plantas, a característica recessiva aparecia, mas em menor frequência que a dominante. Com esses estudos, Gregor postulou leis sobre os mecanismos de transmissão de características hereditárias, conhecidas mundialmente como Leis de Mendel.

Trabalho importante

Seus resultados foram apresentados em sessões da Sociedade de Pesquisa Natural de Brno, em 1865 e Mendel publicou seu trabalho “Experimentos em hibridização de plantas” em 1866. Depois de 35 anos da publicação, os pesquisadores europeus Hugo de Vries, Carl Correns e Erich Tschermak-Seysenegg redescobriram o estudo de Mendel.

Eles procuravam detalhes sobre a hereditariedade e, após isso, os resultados de Gregor foram replicados e traduzidos para o inglês. Em 6 de janeiro de 1884, Gregor Mendel faleceu por conta de uma doença renal crônica, antes de receber o devido reconhecimento.

As Leis de Mendel deixaram um grande legado de descobertas genéticas e seus experimentos ajudaram outros pesquisadores a entender aspectos sobre a hereditariedade. Apesar de não ter sido reconhecido em vida, Mendel deixou um legado inquestionável para a sociedade, sendo seus estudos essenciais para a humanidade.

Hoje os estudos genéticos impactam diretamente na área da saúde, sendo possível customizar tratamentos, praticar a medicina preventiva e criar vacinas. Até mesmo os diagnósticos podem ser mais rápidos e precisos com o uso da genética. Na Mendelics, pioneira na técnica de Sequenciamento de Nova Geração (NGS) no Brasil e na América Latina, os exames diagnósticos genéticos são feitos através da técnica de Sequenciamento de Nova Geração (NGS), o que permite um diagnóstico mais preciso e tratamento mais personalizado. A Mendelics tem como missão tornar o diagnóstico genético rápido, preciso e acessível a todos que precisam.