Notícias » Astronomia

Há 70 milhões de anos, os dias tinham 30 minutos a menos, indica estudo

De acordo com cientistas da AGU, na Era dos Dinossauros, o ano apresentava 372 dias — 7 dias a mais que o calendário atual

Wallacy Ferrari Publicado em 10/03/2020, às 12h00

Ilustração de Dinossauros de época
Ilustração de Dinossauros de época - Getty Images

Um estudo publicado no jornal Paleoceanography and Paleoclimatology, da União Geofísica Americana (AGU), concluiu que os dias no final dos tempos dos dinossauros tinham cerca de 30 minutos a menos do que os dias de hoje, com a Terra girando 372 vezes por ano, sete a mais do que os atuais 365 dias.

A equipe de pesquisa chegou a essa hipótese após estudar conchas fossilizadas de moluscos da era Mesozoica, especificamente no período Cretáceo, há aproximadamente 70 milhões de anos. Foi analisado o crescimento gradativo do molusco, de uma espécie já extinta, por via dos anéis de desenvolvimento em seu casco.

Imagem ilustrativa, em inglês, da evolução do casco do molusco estudado / Créditos: AGU

 

Com formações menos grossas, tudo indica que seus ciclos de sono eram mais curtos graças aos minutos a menos nos dias. Com a medição, foi possível medir com precisão a rotação da Terra, da Lua, ainda em formação, e quão perto o satélite estava ao longo dos 4,5 bilhões de anos que interage com a Lua.

Visto que o animal era da fauna marinha, foi possível analisar as condições que o animal vivia e as condições da água em que crescia. “Basicamente, podemos olhar para um dia há 70 milhões de anos. É incrível", disse Niels de Winter, geoquímico analítico da Vrije Universiteit Brussel e o principal autor do novo estudo.